Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

3 D

16.01.13

 

 

 

 

 

Desconcentrar ou descentralizar têm tido um resultado: desnortear. É uma espécie de 3 D que acrescenta D´s sem fim: desorientar, desmiolar, descontrolar, desfazer e degradar. Já cansa falar da nossa babilónia administrativa.

 

O sistema escolar não escapa a este inferno. Desde 2007 que se percebeu que a massa crítica do MEC queria um mega-agrupamento escolar por concelho. Essa suposta agência municipal não conseguiu receber o acolhimento das desorientadas autarquias e vai sendo imposta pela força. Nunca será uma estrutura descentralizada e a existência desconcentrada acentuará o mau centralismo.

 

Há quem defenda que a desconcentração administrativa passe por aí. Qualquer que seja a posição, o que é seguro, e comprovado no mundo conhecido, é que o modelo de gestão escolar em vigor não serve. Os critérios de proximidade e legitimidade são imprescindíveis e só por desconhecimento se teima em confundir estes dois pressupostos com despesismo.

 

Os professores tiveram, em 2008 e 2009, uma oportunidade para travarem o desmiolo. As estruturas representativas dos órgãos de gestão das escolas não quiseram seguir um caminho mais corajoso e não se devem admirar com o processo em curso.

 

 

Mega agrupamentos de escolas podem aumentar ainda mais de tamanho


"O Ministério da Educação pondera aumentar o tamanho dos mega agrupamentos criados numa primeira fase. A denúncia é feita pelo Conselho das Escolas à Antena1 e confirmada pela Fenprof.(...)"


queriam depressa e bem?

16.01.13

 

 

 

 

 

Por mais que se diga, e com estudos que o comprovam mesmo, que os resultados num sistema escolar são a médio e longo prazos, os "apressados" que nos governam a partir do poder financeiro não sossegam enquanto não deitarem mão à fatia maior do orçamento da Educação através da lógica de má PPP. Conhece-se a receita-da-privatização-tout-court que inclui a escolha da escola.

 

O relatório de inverno do BdP remete o Governo para um plano C (fugir é sinónimo de cavar).

 

Tem conclusões polémicas na Educação, uma vez que o sector anda a "desengordurar" como nenhum outro desde 2006 e talvez os indicadores estudados sejam de 2009. Há uma recomendação que é antiga e que não entra nestas séries: “uma maior escolha pode aumentar a segregação, levando a uma maior concentração dos bons alunos em certas escolas”. É verdade. Em Portugal, a escolha da escola é intensa, antiga, segrega bastante e acentuou-se nos últimos anos (tenho ideia que regredimos).

 

Despesa na Educação continua a reflectir-se pouco nos resultados escolares

 

"(...)Por outro lado, concluem que “as escolas tenderão a agravar a desigualdade no desempenho nas regiões mais desenvolvidas”, o que poderá estar relacionado com "uma maior oferta de escolas". Assim, indicam, “uma maior escolha pode aumentar a segregação, levando a uma maior concentração dos bons alunos em certas escolas”.(...)"


No relatório da OCDE, Education at a Glance 2102, os estudos têm, na página 88, uma curiosidade que nos coloca pela única vez no lugar cimeiro. É fundamental ir ao relatório e ler o capítulo que tem diversos gráficos. No caso que escolhi, e que é sobre o desempenho na leitura de alunos com mães com baixa escolaridade, alunos imigrantes e alunos imigrantes que falam outra língua em casa, somos o país que revela uma menor concentração de alunos que têm mães com baixa escolaridade no quartil acima dos 75% a par de outras evidências.