Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

tudo indica

10.11.12

 

 

 

 

Os spin´s dos governos anteriores aceleraram a queda governativa com a manipulação dos números. O processo foi alvo da justa ridicularização e atingiu-se o auge com o célebre relatório OCDE.pt.bravodébora.

 

A nova maioria começou cedo com o processo-informativo porque andava, e anda, muito nervosa com a possibilidade do fecho da oportunidade. Sabe-se que o MEC encomendou um estudo por causa do investimento médio por aluno e que foi acelerado quando se percebeu que as conclusões do último relatório do tribunal de contas não eram favoráveis aos interesses da laranja forte associada à rosa choque e ao táxi-limousine.

 

Parece que as conclusões do relatório, que se intitulará como AEEP.pt.bravonunocrato, que o MEC se prepara para divulgar, têm sido ajustadas para que os números sorriam ao fanatismo ideológico e à malta dos interesses.

 

Quando os assuntos de Estado chegam a este ponto é sinal de que os Governos estão em fim de mandato.

essenciais

10.11.12

 

 

 

 

 

Para o fisco português, um encenador de teatro não é um autor e nem sei se um realizador de cinema (os do cinema de autor devem ser considerados radicais livres e perigosos) terá o mesmo tratamento.

 

Como conhecemos o Governo donde emerge esta deriva do basismo anti-cultura, só podemos concluir que o achamento de essenciais que abençoou a mente de Nuno Crato fez, naturalmente, escola no executivo. Para o "lápis azul" de Vitor Gaspar aplica-se o ler para crer e um ser humano tem mais para fazer do que andar de plateia em plateia. O ministro das finanças limitou-se a contar e a escrever.

do descaramento

10.11.12

 

 

 

Quem propõe que os alunos passem directamente do 3º ciclo para os politécnicos argumenta que as instiruições do ensino superior vão ensinar com as metas curriculares do ensino secundário.

 

Sendo assim, só há uma pergunta óbvia a fazer: então porque é que isso não se faz em escolas secundárias que foram renovadas recentemente com milhões de euros e têm professores mais do que preparados?