Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

a denuncia de joseph stiglitz em 2009

22.07.12

 

 

O prémio Nobel da economia foi taxativo em 2009: estamos perante uma luta de classes derivada da corrupção ao estilo norte-americano.

 

A desregulação dos mercados inspirada na tese de Milton Friedman está definitivamente desmontada. A ideia de que os grandes grupos financeiros exerciam melhor a responsabilidade social do que os governos, conheceu nestes dias um abalo severo.

 

Já se suspeitava que os offshores acumulavam capital sem fim, mas agora sabe-se que o buraco negro é descomunal. Que ninguém se iluda: os nossos bons alunos para além da troika são gerentes destes interesses e as privatizações em curso em Portugal estão contaminadas por esse tipo de ganância.

 

Se nada mudar, e é difícil que mude com as democracias suspensas, assistiremos a sangrentas batalhas entre classes sociais.

 

Super-ricos "escondem" mais de 17 biliões de euros em paraísos fiscais 

 

 

"Há um “enorme buraco negro” na economia mundial: as fortunas privadas mantidas em paraísos fiscais. Até agora não se sabia quantificar o tamanho desse “buraco”. Mas neste domingo foi divulgado um estudo que revela que a elite internacional de “super-ricos” preserva em paraísos fiscais pelo menos 21 biliões de dólares (17,3 biliões de euros).(...)"

da balcanização

22.07.12

 

 

Os mais atentos detectam a balcanização do MEC. As forças que lá estavam sobrevivem em rota de colisão com as que chegaram e que buscam a instalação. As restantes áreas da governação plasmam o estado de sítio que o fanatismo ultraliberal acentuou.

 

Ouvi há pouco Paulo Portas acusar os socialistas de situacionistas e os do PSD de continuidade. Para o chefe do CDS, o seu partido é a força da mudança que começa a desertar do que não seja além da troika. Os últimos dias do sistema escolar evidenciaram estas ideias e haverá uma parte do PSD que se revê nesta devastação dos serviços públicos. Tenho ideia que o núcleo forte do Governo está desorientado e falta saber o momento em que o verniz estalará.

 

Fica a certeza que o momento do país exigia um Governo competente, e não dependente dos interesses PPP e BPN, e que isso fatalmente não está a acontecer.

estranho, no mínimo

22.07.12

 

 

 

 

Já ninguém refuta: o actual Governo corta, precariza, descredibiliza e privatiza tudo o que é público e deixa intocáveis as PPP´s, os BPN´s e as "privatizações" de lucros.

 

No sistema escolar passa-se o mesmo. Este aumento do financiamento das cooperativas de ensino foi incompreensível e Nuno Crato assinou sem ler ou então já nem sei o que diga.

 

Há escolas públicas que têm dezenas de professores com horários zero e que vêem o encaminhamento dos alunos para cooperativas que funcionam na mesma área geográfica, como é o caso das Caldas da Rainha. Esta duplicação de despesa só não é eliminada porque a privatização de lucros é controlada por interesses partidários. É grave e está mais do que comprovado.

 

Crato atenua corte no ensino particular e cooperativo 

 

"Colégios vão receber 85 mil euros por turma e vêem reforçado o financiamento por turma em cinco mil euros, em relação ao valor previsto pelo PS.(...)"