Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

a discussão a oeste

16.07.12

 

 

 

Desde 2006 que escrevo com alguma reguralidade sobre a presença do ensino cooperativo na rede escolar das Caldas da Rainha e publiquei textos sobre o assunto no jornal local de referência, "A Gazeta das Caldas".

 

Foi com interesse que recebi este excelente trabalho, muito bem documentado, sobre o assunto. O seu autor teve ainda a ideia de organizar a reunião que divulguei no post anterior e onde estarei presente. Aconselho vivamente a leitura. O pdf é uma cortesia deste post do Paulo Guinote que também recebeu e divulgou a informação.

rede escolar das caldas da rainha

16.07.12

 

Pedido de divulgação:

 

Um grupo de professores, e tendo em consideração os graves constrangimentos da rede escolar das Caldas da Rainha associados à agregação de escolas, ao aumento do número de alunos por turma, à revisão curricular e às regras para a organização do ano lectivo, decidiu organizar uma reunião que se realizará no Auditório da Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro, na próxima 4-ª-feira, dia 18 de Julho, pelas 18h30.

 

A reunião é aberta a todos os professores e educadores e a aos cidadãos que se revejam nos problemas enunciados.

 

 

Vou estar presente.

 

 

 

 

cresce a indignação

16.07.12

 

 

Está a criar-se uma plataforma inédita na defesa da escola pública.

 

Preocupada com futuro próximo da Educação, comunidade educativa pede reunião urgente ao ministro 

 

Professores, trabalhadores não docentes, pais e encarregados de educação, psicólogos, inspetores de educação e diretores de escolas e agrupamentos enviaram ao Ministro da Educação e Ciência uma carta em que solicitam, em conjunto, uma reunião, a realizar com caráter de urgência, para colocarem as suas preocupações relativamente ao futuro próximo da Educação, designadamente as condições de abertura do próximo ano letivo, e exigirem a alteração do sentido das políticas em curso, concretizado em medidas que atacam a organização pedagógica e o funcionamento das escolas, a qualidade do ensino e os direitos de quantos fazem da escola quotidiano.

Os mega-agrupamentos, o empobrecimento curricular, o aumento do número de alunos por turma, as novas regras de organização do ano letivo, o regime negativo da Educação Especial, ou a desvalorização da ação social escolar, ainda mais preocupante por acontecer num momento de crise tão grave para as famílias, são exemplos de medidas que preocupam as organizações que solicitaram esta reunião ao Ministro Nuno Crato.

FENPROF, FNSFP, STAL, CONFAP, CNIPE, SNP, SIEE, ANDE e ANDAEP consideram indispensável e urgente esta reunião em que o Ministro deverá, não só, justificar as medidas tomadas (a maior parte delas sem qualquer diálogo ou negociação), como esclarecer as dúvidas que serão colocadas, designadamente sobre as condições em que as escolas funcionarão no próximo ano e como será possível evitar ruturas que seriam indesejáveis e gravíssimas.


testemunhos

16.07.12

 

 

Este comentário da Ana Sousa deve ser lido com toda a atenção.

 

 

"Não me tenho cansado de deixar testemunhos das consequências dramáticas deste descalabro que estão a impor à escola pública nas caixas de comentários dos blogues que visito regularmente.

E esgotei. 
Esgotei a capacidade de sequer pensar na ruína das medidas, na incongruência dos números, na insensibilidade de quem põe a engrenagem a funcionar, rumo à destruição que se adivinha.

O que se tem vivido recentemente é só o prólogo de uma obra cujos capítulos, crescentes de intriga, começarão a ser escritos em Setembro, quando as salas de aula abarrotarem de personagens vivas, com boca, olhos e tudo, aos magotes de 30, para aprender com afinco os saberes estruturantes que as metas de aprendizagem definem como essenciais, a testar em exames rigorosos. 

Só a partir de Setembro poderemos aceder aos sucessivos capítulos desta espécie de epopeia surreal que começou há pouco a ser escrita e que, infelizmente, ficará para as gerações futuras como A DIVINA COMÉDIA… de Crato.

Entretanto, não dá para esquecer as lágrimas e o pesar dos colegas que, na passada sexta-feira 13, receberam o passaporte para umas férias de pesadelo, onde era suposto recuperarem forças e motivação para o seu vigésimo e tal, às vezes até trigésimo, ano de serviço e de investimento profissional. 
Mesmo que os repesquem no meio desse período, a deriva a que foram condenados em boa parte desse pseudo tempo de descanso já ninguém conseguirá apagar das suas memórias. E a desconfiança no desfecho da narrativa perdurará no seu espírito para sempre.

Resta-nos imaginar quantos serão os capítulos e quem escreverá o epílogo, pois que o enredo todos conhecemos."

da inevitabildade

16.07.12

 

 

O cilma no sistema escolar sobreaqueceu e vai fazer lembrar outros tempos. Repito: convenço-me que o denominador comum é suficientemente forte. Está lançada a ideia de bloqueio ao início do ano lectivo a par de outras iniciativas para a semana que agora começa e que divulgarei oportunamente.

 

Querem mesmo "lutar" ou é apenas retórica?