Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

e até se tem esforçado

21.06.12

 

 

 

 

Não podemos afirmar que Nuno Crato não se tem esforçado por se equiparar, mesmo que em algumas, poucas, matérias alinhe na ala oposta, a Maria de Lurdes Rodrigues. Dá ideia que a ex-ministra caiu nas boas graças de quem manda mesmo no país e Nuno Crato não deve desdenhar da graciosidade.

 

Apesar do preciosíssimo contributo do seu secretariado, Nuno Crato parece precisar de tempo para atingir um patamar semelhante. E convenhamos: não adoptou o mesmo registo tirano-ensandecido.

 

Cada vez que aparecem relatórios do tribunal de contas sobre a parque escolar.sa, as pessoas lembram-se da presença de Maria de Lurdes Rodrigues no parlamento onde afirmou, com veemência, que não houve derrapagens e que a coisa foi uma festa. É natural que comecem a circular cognomes nada abonatórios.

 

Se fizermos um inquérito confidencial ao pessoal da oligarquia republicana (sou republicano, ok) não nos admiremos se continuarem a considerar Maria de Lurdes Rodrigues uma reformista incompreendida. E a crença é tão feérica, que a ex-CEO do MEC saltou de imediato para uma das dez mais influentes instituições portuguesas.

 

A Fundação Luso-Americana não deve interessar para coisa alguma e não nos devemos admirar quando nos acusam de estarmos na bancarrota exactamente por isso: temos instituições fracas e cuidamos de forma esquisita do processo de selecção das chefias. Preferimos chefes a líderes, temos uma classe média fraca e isso é causa e consequência de um facto incontornável: somos uma sociedade corrupta.

naturalmente nas meias-finais do euro2012

21.06.12

 

 

 

 

 

 

Portugal dominou de tal forma o jogo com a República Checa que nem me lembro de ver o guarda-redes Rui Patrício a fazer uma defesa difícil. Depois de ter criado uma dezena de oportunidades de golo, Portugal marcou e esteve quase três minutos na posse de bola. É um dado importante para certificar a capacidade desta equipa que tem no fenomenal Cristiano Ronaldo um factor que desequilibra. Nestes jogos, com esta carga emocional, é raro um grande jogador ser tão determinante.

um post criptado em forma de tríptico

21.06.12

 

 

 

 

 

 

 

Há dias em que imaginamos coisas, veja-se lá. Imginem o que me passou pela cabeça e que vou relatar de seguida.

 

O entendimento de 2008 entre o Governo e os sindicatos, o tal que cortou a espinha dorsal à luta dos professores, foi negociado ao mais "alto nível", sem ME e sem sindicatos da Educação, e vai sendo pago ao longo do tempo. Juntaria três ingredientes: o referido entedimento, a maçonaria e os apoios para as próximas presidenciais.

 

e as consequências resumem-se a cortes nos salários e nos subsídios?

21.06.12

 

 

 

Uma Câmara Municipal pagou uma escola que nunca foi construída e ficou, de tal forma, sem voz em assuntos da Educação que a agregação de escolas no concelho respectivo tem uma dimensão de pasmar. A corrupção no nosso país foi tão descarada que é bem possível que tivesse acontecido uma coisa parecida com a que imaginei na primeira frase.

 

Todos os dias temos notícias sobre a corrupção e haverá qualquer coisa de spin no meio de tudo isto, como se viu recentemente no desanuviamento do relvasgate.

 

No mês em que muitos de nós ficam sem subsídio de férias por causa da corrupção, a interrogação é simples e humorada: esta gente não repõe os desfalques porquê?

 

 

Parque escolar pagou obras que não foram feitas

 

Custos dispararam nas obras da Parque Escolar em benefício dos empreiteiros

dos humanos e da troika

21.06.12

 

 

 

Da génese dos totalitarismos à desilusão com o despotismo de figuras consideradas homéricas, nada escapa ao "o que é humano não nos deve ser estranho".

 

A democracia, com os seus defeitos, é o regime mais humano e imperfeito que nos foi dado a conhecer e o único que dá garantias à liberdade como o valor fundador e fundamental.

 

Tenho ideia que algumas organizações internacionais existem para criarem uns empregos interessantes e para defenderem agendas não sujeitas ao sufrágio directo e universal.

 

"O que a Troika faz é ganhar o seu dinheirinho" critica Mário Soares