Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

má despesa pública (1)

01.02.12

 

 

 

 

 

"Lembra-se do caso dos 72 mil euros em trabalhos de consultoria técnica de conteúdos para a Presidência do Conselho de Ministros? O Má Despesa decidiu ontem escrever sobre o assunto porque estava em causa um contrato anual que correspondia a seis mil euros mensais. (...)Hoje de manhã um leitor atento alertou-nos para a alteração do contrato. Em pouco mais de 24 horas passou de um contrato de um ano para um de três anos, com o mesmo valor.(...)".

 

É assim que o blog Má Despesa Pública inicia um post que publicou hoje. Nos últimos dias, a blogosfera tem feito esse papel em relação a despachos governamentais e tem sido assim nos últimos anos em relação a vários assuntos.

 

Alguém perguntou-me: mas são necessários os bloggers correrem esses riscos? Os poderes instituídos não funcionam? Não consequi responder com exactidão. O único aspecto em que consigo ser peremptório neste domínio é o seguinte: estranhe-se o frenesi dos que advogam o silenciamento dos bloggers. Mas o Banco de Portugal, que deve supervisionar a banca, tem, segundo o Má Despesa Pública, cinco mil euros inscritos para golfe.

 

É impressionante o saque que se faz ao Estado. Nem a plena pré-bancarrota comove as nossas gentes. Há instituições públicas que se endividam na banca para despesas supérfluas? Será que não imaginam que a banca recorre depois ao exterior, com os juros astronómicos que se conhecem? É grave e quase inimaginável. Voltarei a este assunto.

da blogosfera - a educação do meu umbigo

01.02.12

 

 

Revisão curricular - A voz das escolas?

 

Este post do Paulo Guinote é elucidativo: as escolas estão "sem voz", como se pode ver na imagem da sondagem que realizou. Há um princípio básico da democracia que resulta na necessária mobilização das pessoas e no avanço das sociedades: ouvi-las. Só que há um detalhe fundamental: a democracia dá trabalho. Leia o post e os comentários.

 

sucedem-se

01.02.12

 

 

Nos últimos dias, a blogosfera tem divulgado uma série de despachos governamentais que determinam o pagamento dos subsídios de férias e de natal, em 2012, às respectivas assessorias. O governo tem apresentado justificações que vão desde o nacional-copy-paste à posterior obediência à lei geral.

 

Hoje temos mais um. Às tantas, os spins começaram a inundar o espaço para instalar a rotina e o desagravamento.

 

 

já não é apenas joseph stiglitz

01.02.12

 

 

Começa a ser recorrente ouvir um prémio Nobel da economia afirmar que os programas de austeridade em curso não resultam. Desta vez é Paul Krugman. Considera-os ruinosos e não pode ser considerado de esquerdismo radical, como alguns gostam de classificar a lucidez de Joseph Stiglitz. Para já vai pervalecendo a tese dos alunos de Friedman que chegaram aos governos sem sufrágio directo e universal. Dá que pensar.

Krugman acusa decisores de amnésia intencional que leva a austeridade ruinosa 

"O economista Paul Krugman sustenta que o Produto Interno Bruto (PIB) – ou seja a riqueza gerada – da maioria das principais economias europeias está a evoluir pior do que após a Grande Depressão de 1929, o que prova que a austeridade na Europa não está a funcionar."