Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

justiça de perdição

21.01.12

 

 

Este fim de semana experimentámos "trocar" as edições impressas do Público pela do Expresso. O semanário continua a não nos convencer e amanhã voltamos ao diário de referência.

 

O primeiro caderno do Expresso tem, na página 22, uma crónica que nem sei se será habitual. A certa altura, a autora de "Justiça de perdição" escreve assim: "(...)A organização burocrática do ** potencia um atomismo ainda mais nefasto (...)".

 

Essa frase, e mesmo a maioria das outras passagens, podia ter sido escrita por muitos dos que têm caracterizado o MEC. É evidente que o texto de Maria José Morgado não tem qualquer ** e nesse lugar tem um MP. A analogia que faço serve apenas para reforçar o que se tem escrito sobre a traquitana do estado.

 

Só que no caso do MP, e como diz a cronista, até parece dar jeito no combate à corrupção. Aliás, na primeira página do jornal é escrito que a unidade de combate à corrupção perde um chefe e que o substituto só será nomeado em Março. Se fosse para o conselho geral da EDP ou de outra coisa do género a celeridade seria outra.

sua excelência e o movimento impetuoso da simplificação

21.01.12
certidaonascimento.jpg

 

Sua Excelência estava à frente de mais uma reunião: discutia-se o prazo para a caducidade das certidões de nascimento e de óbito.

A polémica centrava-se em dois pólos: o da maioria, que favorecia a ideia de alargar o prazo de validade, e o da minoria, defendida apenas por um subordinado - por sinal, chato e teimoso - que não concebia a intenção de realizar-se pela segunda vez o acto de nascer ou de morrer.

Sua Excelência ouviu, ponderou e sentenciou: “"para já, e de modo avisado, alarga-se o prazo de seis meses para um ano. As mudanças requerem progressividade e habituação"”.



(1ª edição em 18 de Abril de 2008)