Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

265

20.01.12

 

 

É: uma professora, segundo notícia do Público, está como contratada e aufere 265 euros por mês. A professora é do quadro de nomeação definitiva e esteve um ano com licença sem vencimento. "(...)Ondina Pires tem 49 anos. É docente do quadro, mas está a contrato na Escola Básica do 2.º e 3.º ciclo Dom Luís de Mendonça, no Barreiro, a mesma em que ficou efectiva há nove anos. Tem um horário de seis horas por semana. Ainda está estupefacta: afinal, até mesmo na lei nada pode ser dado como certo.(...)". Num país com tanto desmiolo, não estranham as declarações que pode ver a seguir. O nosso presidente da República é mesmo impagável.

 

sua excelência, o moderador

20.01.12



Sua Excelência estava impendida para moderar um debate à volta dos amontoados de escolas: coisa descomunal, já se vê, mas em plena propagação num país sem falência anunciada.

O plenipotenciário do poder central disse: "todos os meus colegas, pelo menos os que são sérios, desvelados e versados na realidade, estão de acordo com a espécie de montão."

O plenipotenciário do poder local disse: "todos os meus colegas, pelo menos os que são sérios, desvelados e versados na realidade, estão em desacordo com a espécie de montão."

Sua Excelência ostentou a inferência: "disse."
(1ª edição em 12 de Abril de 2008,
A reedição acontece numa altura em que se
voltam a desenhar mega-agrupamentos, assunto
a que voltarei oportunamente.)

da centralidade

20.01.12

 

 

O homem perdeu, no pensamento político europeu dominante, a posição de centralidade no organismo social e foi remetido para o exterior, passando a fazer parte do meio ambiente do sistema. Tornou-se uma causa para o aparecimento de problemas constantes e de complexidades crescentes.

 

A lógica defendida por Niklas Luhman tem de ser encarada pelas democracias europeias e pelas organizações que as integram. Os sistemas de informação que se foram construindo podem estar numa fase de saturação por crescente entropia informacional.

 

As redes de que tanto se fala têm uma exigência: a eliminação da centralidade. Se associarmos a sua impressionante ubiquidade aos modelos organizacionais vigentes, também no sistema escolar português, temos razões suficientes para duvidarmos do caminho que estamos a seguir e todos os motivos para afirmarmos que quem contraria, desta forma, a história e a actualidade não deve estranhar a regressão política e social e o consequente empobrecimento.

isto ainda acaba mal

20.01.12

 

 

Leia o despacho que se segue e diga lá se a paciência dos portugueses não é uma coisa de espantar?

 

 

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA

Gabinetes do Secretário de Estado do Ensino Superior e da Secretária de Estado da Ciência

Despacho (extrato) n.º 774/2012

Nos termos e ao abrigo do disposto nos n.os.3 e 4 do artigo 2.º e no  artigo 6.º do Decreto -Lei n.º 262/88, de 23 de julho:

1. É nomeada Helena Isabel Roque Mendes para, no âmbito dos nossos Gabinetes, exercer funções de apoio à Rede Informática do Governo (RING) e de interface com o Centro de Gestão da Rede Informática do Governo (CEGER).

2. A nomeada auferirá uma remuneração mensal de € 1.575,00 (mil quinhentos e setenta e cinco euros), atualizável na mesma percentagem do índice 100 da escala salarial das carreiras do regime geral da função pública, acrescida do subsídio de refeição que estiver em vigor.

3. Nos meses de junho e novembro, para além da mensalidade referida no número anterior, será paga outra mensalidade de € 1.575,00 (mil quinhentos e setenta e cinco euros), a título de abono suplementar.

4. Os encargos resultantes do presente nomeação serão suportados pelo orçamento do Gabinete do Secretário de Estado do Ensino Superior.

5. O presente despacho produz efeitos a partir de 28 de junho de 2011, e é válido pelo prazo de 1 ano, renovável, até à sua caducidade, conforme o previsto na parte final do artigo 11.º do Decreto -Lei n.º 262/88, de 23 de julho.

11 de janeiro de 2012. — O Secretário de Estado do Ensino Superior, João Filipe Cortez Rodrigues Queiró. — A Secretária de Estado da Ciência, Maria Leonor de Sá Barreiros da Silva Parreira.

da regressão

20.01.12

 

 

Portugal é um país de acentuadas desigualdades sociais. As democracias mais avançadas conseguem diminuir essa trágica circunstância com o aumento da denominada classe média.

 

A torrente de regressões sociais que se tem verificado pretende desarmar a capacidade de resistência dos menos endinheirados. São sucessivas vagas de neoliberalismo que desejam aturdir os mais "fracos". A continuarmos neste caminho, e dentro de alguns anos, pouco nos distinguirá da Albânia de outros tempos. As remunerações das chefias da EDP e os cortes sucessivos nas condições das classes média e baixa são exemplos recentes e elucidativos.

 

Gostei desta intervenção na Assembleia da República. É bom que a política sobreviva.