Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

alucinogénios

10.01.12

 

 

 

 

Nas campanhas eleitorais, a oposição desdobra-se a apontar as inverdades de quem governa e a sublinhar a necessidade de se explicar à população o interior dos acontecimentos. Mesmo que as cadeiras troquem de clientes, a prática de-não-verdade fica inamovível do lado de quem governa.

 

A discussão sobre a revisão curricular está mais condicionada pelos cortes no produto dos salários de professores do que noutra variável. É claro que há aquela cratice, que se pensava arrumada no baú das insuficiências escolares, que se assume num discurso de três ou quatro saberes essenciais. Num tempo de globalização e de sociedade da informação e de conhecimento, temos de convir que uma epifania desse calibre só parecia ao alcance de quem usasse substâncias com efeitos psicadélicos.

 

A habilidade, e a oportunidade, política condiciona o tal discurso de verdade.

Educação: Ministro não adianta números de professores contratados a dispensar com revisão curricular

divertamo-nos, enquanto a recessão não se acentua

10.01.12

 

 

No dia em que se soube, veja-se lá a novidade, que a recessão em Portugal será mais grave do que se previa, os alunos de Milton Friedman que nos desgovernam atropelam-se para ganharem os favores do capitalismo de estado promovido pela China totalitária e pelo o seu Partido Comunista. É mais uma comédia com contornos trágicos. O tempo ajudará a perceber como vai a paciência do chinês.

 

Accionistas da EDP tentam proteger Governo da polémica das nomeações

 

Accionistas privados atribuem aos interesses chineses todas as escolhas polémicas para o CGS. Quase todas. Luís Amado e Edmund Ho recusaram convite para integrar este órgão.

um género de inquisição

10.01.12

 

 

 

 

 

Sou capaz de estar semanas a água e numa noite beber uns "copos" sem me aproximar do limite que me leve à má disposição no dia seguinte. Tenho com o tabaco uma relação ainda menos assídua do que com o álcool, mas arrepiam-me os fundamentalismos. Ainda há uns poucos anos, o estado despachou no sentido em que a restauração investisse fortemente em exaustores para acolher fumadores. O mesmo estado vem agora proibir a presença dos proscritos até junto à porta dos locais de consumo. São sinais e mais sinais que devem ser combatidos. Os espírito inquisidor não foi banido da condição humana, os motivos por que se manifesta é que mudam.

Estudo aponta para a proibição de fumar à porta de cafés, bares e restaurantes

Uma investigação coordenada pela Faculdade de Medicina de Lisboa e financiada pela Direcção-Geral de Saúde determina o fim das excepções no combate ao consumo de tabaco.