Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

capital incolor num mundo às avessas

22.12.11

 

 

 

 

 

A correria à volta da reprivatização da EDP, a mais volumosa da História portuguesa, foi ganha pelo gigante asiático chinês "Three Gorges" que tem mais de 14.000 trabalhadores com salários que desconheço. Há especialistas que dizem que foi uma decisão sábia do governo português e que abre as portas da Europa ao capital chinês. Só o tempo ditará as consequências.

 

Estranho, confesso, que a reprivatização desta monopolista jóia da coroa tenha sido ganha por uma empresa estatal, e também monopolista, de um país que os neoliberais não se cansam de acusar de autocrático. O mentor Milton Friedman deve estar a dar voltas no seu aconhego com o triunfo das industrias fortemente regulamentadas pelo estado e com as decisões dos seus melhores alunos.

Governo diz que proposta chinesa para a EDP era “a mais forte em termos globais”

A secretária de Estado do Tesouro e Finanças, Maria Luís Albuquerque, anunciou hoje que a proposta da Three Gorges, que pagou 2,69 mil milhões por 21,35% da EDP, foi seleccionada por ser “a mais forte em termos globais”.

assustador?

22.12.11

 

 

Há quem afirme que nos próximos cinco anos a tecnologia vai ser capaz de ler a mente através dum software que criará, por exemplo, passwords com o recurso ao ADN. Poderemos levantar dinheiro (se ainda houver, claro) ou marcar um número de telefone com a força do pensamento. Há um mar de questões que se levantam e que devem ser discutidas.

 

IBM: cinco previsões para os próximos cinco anos

 

 

gigante tecnológica norte-americana acaba de anunciar cinco previsões para os próximos cinco anos. As passwords e o spam têm os dias contados. Será possível controlar o telemóvel com a mente, assegura.

 

comemorando

22.12.11

 

 

Os célebres "Pastelinhos de Belém", nome do reconhecido e afamado coro do agrupamento de escolas de Santo Onofre, festejou ontem à noite a tradicional época natalícia associado à não menos influente "Confraria das Provas Ó Vais". Desta vez o encontro foi na Foz do Arelho para uma noite muito bem passada que é testemunhada neste álbum enviado pela Isabel Silva. Deixo uma imagem como cartão de visita para a excelência da atmosfera relacional que sempre se vive nestes encontros. Como é habitual, o blogue da Filomena Ruivo fará as reportagens que linkarei.

 

 

embrulhado?

22.12.11

 

 

 

 

 

Imagino que está por ali embrulhado como uma prenda de Natal, mas se não for desse modo virá logo a 26. "O futuro e os seus inimigos", de Daniel Innerarity, desperta-me curiosidade.

 

"Um livro que aposta numa política do optimismo e da esperança numa ocasião em que diminui a confiança no futuro. Boa parte dos nossos mal-estares e da nossa pouca racionalidade colectiva provém de que as sociedades democráticas não mantêm boas relações com o futuro. Em primeiro lugar, porque todo o sistema político, e a cultura em geral, estão virados apenas para o presente imediato e porque o nosso relacionamento com o futuro colectivo não é de esperança e projecto mas de precaução e improvisação. Este livro procura contribuir para uma nova teoria do tempo social na perspectiva das relações que a sociedade mantém com o seu futuro: de como este é antevisto, decidido e configurado. O trabalho que as sociedades actuais têm de efectuar sobre o tempo obriga-as a incluir cada vez mais futuro nos seus cálculos. Se não errarmos ao criar processos que nos abram um horizonte mais ambicioso, o do longo prazo, a transformação de que as sociedades democráticas necessitam será o resultado imediato dessa abertura para fazer do futuro o seu mais interessante espaço de acção. Para que a acção não seja reacção insignificante e o projecto se não converta em idealismo utópico, é necessária uma política que faça do futuro a sua tarefa fundamental."