Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

sem equívocos

17.12.11

 

 

"Deliberadamente vamos utilizar terminologia clássica, aclarando, desde logo, que "não se trata de advogar ou propôr o regresso a um passado mítico, e muito menos a defender programas mínimos como ler, escrever e contar ou as tendências de "back to basics". Trata-se, pelo contrário, de abrir novas perspectivas que ponham a aprendizagem, no seu sentido mais amplo, no centro das nossas preocupações" (Novoa, 2009, 194). Somamo-nos à exigência de clareza no debate sobre as coisas públicas: "O buraco negro do debate público sobre educação, capaz de absorver e fazer desaparecer qualquer ideia que se aproxime, é hoje a dificuldade em chamar as coisas pelos seus nomes" (Fernando Enguita, 2009, 72)"

 

 

 

Angel García del Dujo.


La escuela en crisis/Recontrucción del sentido de

la actividad educativa escolar (página 83)

(a tradução é minha)

do equilíbrio

17.12.11

 

 

Aristóteles disse qualquer coisa como isto: uma sociedade está equilibrada quando quem exerce o poder é proveniente da classe média e quando o número de pessoas que pertencem a esta classe é superior à soma dos pobres com os ricos.

 

 

 

 

(1ª edição em 3 de Agosto de 2011)

o guloso neoliberalismo

17.12.11

 

 

Uma década, ou mesmo duas, de reformas estruturais e o empobrecimento não pára de aumentar. Pode argumentar-se que a terceira via socialista intercalou, na Europa, com os governos de direita. Mas se alguém encontrar significativas diferenças nos dois contendores suaves, deve considerar-se um incompreendido sem remédio e afirmar que a contestação dos povos é inevitável. Sublinho que estou a pensar naquela área, a economia, em que os especialistas preenchem a formação da opinião mediatizada.