Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

o poder dos aventais

13.11.11

 

 

Li todos da série "Os Cinco", de Enid Blyton, e construí com os meus amigos inúmeros clubes e autênticas sociedades secretas. Na adolescência as preferências literárias foram mudando, a participação cívica foi escolhendo o mundo às claras e a fase adulta exigiu-me aventais apenas nas horas de cozinha. Sempre me intrigaram as adolescências retardadas que se remeteram à iniciação em qualquer forma de secretismo, como já retratei aqui.

 

Não haja equívocos. Por mais altruístas que se insinuem as organizações do tipo da Maçonaria, a sua existência foi-me parecendo estimuladora de parcialidades doentias para os regimes democráticos. A serem verdadeiras as declarações inscritas na notícia que encontrei, demonstra-se até onde pode ir a influência negativa dessas instituições. Se ainda por cima o que está em causa é um dos pilares das democracias, não consigo perceber o que poderá ser pior.

 

Ex-juiz acusa maçonaria de controlar a justiça 

"O sistema de justiça português é constituído por lojas maçónicas e controlado pela maçonaria. Além de controlar as decisões dos processos - incluindo os casos da Universidade Moderna, Portucale, Casa Pia, Apito Dourado e Isaltino Morais -, controla igualmente a carreira dos juízes e dos magistrados do Ministério Público e dos altos funcionários do Estado", diz José da Costa Pimenta, em carta para a actual ministra e os principais protagonistas do sector. (...)"

paciência lusitana

13.11.11

 

 

 

Depois do presidente da República ter a aplaudido a nossa "maturidade cívica", o escritor António Lobo Antunes prefere elogiar a "paciência inexcedível". Vou mais pela segunda, sem desconsiderar a primeira. Os professores, por exemplo, andam há anos a dar lições de civismo sem uma palavra elogiosa de Cavaco Silva. A maturidade cívica estava eliminada do seu vocabulário e alguns saberão a razão.

 

Diria, como na imagem, que é mais uma questão de peixes. Não de pregar-lhes o que quer que seja, que os tempos não estarão para isso, mas mais no sentido de se ter qualquer coisa para servir à mesa. Se os pratos ficarem vazios, os portugueses farão um delete à maturidade e à paciência?

Portugueses aguentam crise com paciência "inexcedível" - António Lobo Antunes

"(...) Numa altura tão difícil e injusta, que os portugueses têm aguentado com uma paciência que eu considero inexcedível, em que vivemos num neofascismo capitalista, que afasta ainda mais as pessoas da cultura e dos livros, estar aqui hoje é, também, um ato de protesto. (...)"

maturidade cívica ou um perigoso salve-se quem puder?

13.11.11

 

 

 

A história não se repete, pelo menos exactamente, e é arriscado prever o desenvolvimento desta crise. Um aspecto nada favorável na condição portuguesa é a situação do actual presidente da República. Não só pelo "monstro" que projectou como resposta à necessidade de votozinhos, mas principalmente pelas diabruras (um eufemismo para designar os inúmeros casos de polícia) de colaboradores seus ao longo dos tempos. Os dois fenómenos associados, são, inquestionavelmente, os mentores do estado em que estamos. O mundo ocidental foi devastado por tsunamis semelhantes. A situação agrava-se com a parecida condição de uma parte significativa da classe política que tem passado pelos governos.

 

Ontem houve manifestações que envolveram milhares de pessoas.

 

Milhares marcharam em Lisboa contra "orçamento de agressão"

 

Centenas de polícias, de militares da GNR e de guardas prisionais juntaram-se hoje às dezenas de milhares de funcionários públicos que se manifestaram em Lisboa contra o “orçamento de agressão”.

 

É risível ler algumas declarações.

Cavaco elogia “maturidade cívica” dos portugueses face à crise 

O Presidente da República disse ontem em Washington ter “confiança na maturidade cívica dos portugueses, que compreenderam a gravidade da situação do país e estão dispostos a mudar de rumo”.