Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

(des)educação

08.11.11

 

 

O desenho é do Antero. 

 

Não gosto de mediatizar coisas destas, porque expõe crianças e jovens por causa da má educação dos seus deseducadores. Mas os tempos são o que se sabe e temos de ajudar a alterar o estado de sítio educativo que a senhora do desenho acentuou. 

 

Aluno copiou em teste com ajuda da mãe através de SMS

 

Um aluno do 5.º ano do Agrupamento Vertical Dr. Francisco Gonçalves Carneiro, em Chaves, foi surpreendido pela professora a copiar num teste, com a ajuda da mãe, que lhe enviava mensagens escritas de telemóvel com as respostas das perguntas.

 

Contributo da Ana Mendes da Silva.

a confiança é a nova moeda

08.11.11

 

 

"O CEO da Covey Leadership Center e líder do Global Speed of Trust Practice já integrou a lista dos 25 americanos mais influentes da revista Time e esteve em Lisboa para a Happy Conference, onde falou sobre a importância vital da confiança no poder das organizações." (esta frase é da edição impressa da Pública e foi uma cortesia do José Mota).

 

A confiança poderá ser a nova moeda para a economia. Nos sistemas escolares é a palavra chave desde há muito. A confiança nos professores é decisiva para eliminar a má burocracia. A palavra de um professor vale menos que um qualquer relatório, mesmo que seja um copy and paste. O pior da quebra de confiança reflecte-se na indisciplina na sala de aula. A constante degradação mediática da imagem dos professores só é superada pelas políticas que os desacreditam no poder das organizações. É um ranking ensandecido. As crianças e os jovens intuem o estado de sítio. Tudo começa no estatuto do aluno, passa pelo dos professores e pela sua avaliação e prossegue nos modelos de gestão escolar. Se para Stephen Covey é esse o caminho que existe, para o sistema escolar trata-se de o recuperar. Quanto mais tarde o fizermos, mais depauperada ficará a democracia.

custos incalculáveis

08.11.11

 

 

 

O elogio da berlusconização pagar-se-ia, só que não se esperava uma factura tão elevada. A Itália foi conduzida para uma espécie de abismo por uma catadupa de "BPN´s", "faces ocultas" e afins. Veremos o grau de contágio para os restantes países europeus. As próximas horas serão decisivas e só esperamos que o veredicto não seja tardio.

 

Berlusconi vai a votos às 14h30