Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

papel?

02.11.11

 

 

 

Só para os testes escritos. Conhecesse, a Troika e quem governa o MEC, o sistema escolar em profundidade e a medida inscrita na primeira frase pouparia milhões sem fim e obrigaria a um avanço inquestionável na cultura organizacional das nossas escolas. E acreditem que ponderei muito bem o que escrevi e que penso assim há muito e de forma bem fundamentada; e com provas dadas, como convém.

blogues em papel (arquivo)

02.11.11

 

 

O P2 do Público de ontem, edição impressa, insere este post do "Correntes". Rareiam os momentos com uma edição impressa numa esplanada à beira-mar. A aquisição limita-se aos fins de semana e feriados e mesmo assim as faltas são frequentes. Mudam-se os hábitos e o online vai impondo a sua lei. Postar os blogues em papel vai escapando e ontem foi por um triz.

 

 

além da troika

02.11.11

 

 

 

 

 

Mesmo considerando que vivemos em crise financeira, só há duas hipóteses para o frenesi governativo de impor empobrecimento para além da Troika: excesso ideológico ou o propósito maquiavélico de fazer todo-o-mal no início a pensar nas eleições de 2014. Até no sistema escolar o princípio se aplicou. Dos 200 milhões de euros de cortes acordados para 2011, Crato, o bom aluno, apresenta um diktak de 600 milhões.

o medo da democracia

02.11.11

 

 

 

 

 

"Bastou o primeiro-ministro grego anunciar que consultará o povo, através de referendo, sobre as novas e gravosas medidas de austeridade e perda total da soberania orçamental impostas ao país pelos "mercados" e seus comissários políticos em Bruxelas e nos governos de Berlim e Paris para cair a máscara democrática desta gente.

Na pátria da Democracia, o Governo decide-se por um processo democrático básico e Sarkozy fica "consternado" e considera a decisão "irracional" enquanto alemães e FMI se mostram "irritados" e "furiosos" com ela. E Merkel e Sarkozy assinam um comunicado conjunto dizendo-se "determinados" a fazer com que a Grécia cumpra as suas imposições e lhes ceda o que ainda lhe resta de soberania; só lhes faltou acrescentar "queiram os gregos ou não queiram" e mobilizar a Wehrmacht e a "Force de Frappe"...

Até Paulo Portas, ministro de uma coligação eleita com base em compromissos eleitorais imediatamente rasgados mal tomou posse, está "apreensivo".

O medo que esta gente, que tanto fala em Democracia, tem da Democracia é assustador. Aparentemente, o projecto de suspensão da Democracia por 6 meses (ou por 48 anos) estará já em curso. Pinochet aplicou no Chile as receitas de Milton Friedman suspendendo sangrentamente a Democracia. Como é que "boys" de Chicago como Gaspar ou Santos Pereira, que chegaram a ministros sem nunca antes terem governado sequer uma mercearia, o fariam em Democracia?"

 

Aqui.