Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

finalmente falou

25.09.11

 

 

 

Manuel António Pina

 

Cortesia do Sérgio Moreira. 

 

"Muitos criticavam o presidente da República (PR) por não dizer nada sobre os buracos postos a descoberto nas contas da Madeira, agravando os défices de 2008, 2009 e 2010 e a factura dos "sacrifícios" impostos aos portugueses (o PR aparentava ser o único português sem coisa nenhuma a dizer sobre o assunto).

O caso afigurava-se ainda mais estranho considerando o memorável dia em que o PR interrompeu umas merecidas férias no Algarve para falar ao país do ingente problema de um artigo do Estatuto dos Açores.

Afinal, o PR só aguardava o momento propício para dizer de sua justiça. E o momento chegou ontem (nos Açores, onde haveria de ser?). O país ficou a saber o que o PR pensa não só sobre a Madeira mas também sobre os demais problemas que afligem os portugueses e mantêm o país em estado de alerta laranja: "Ontem eu reparava no sorriso das vacas, estavam satisfeitíssimas olhando para o pasto que começava a ficar verdejante".

Trata-se de uma tomada de posição enigmática mas que, devidamente decifrada, decerto tranquilizará os portugueses: quem sabe se "vacas" não será uma metáfora de "mercados" e se o "pasto que começava a ficar verdejante" não significará a diminuição do défice ou que o ministro Álvaro irá finalmente aparecer numa manhã de nevoeiro?

Ganha assim sentido o misterioso conceito de "magistratura activa" que Cavaco não se cansou de prometer aos portugueses durante a sua campanha eleitoral."

escola e só escola

25.09.11

 

 

Escola e crise viajam sempre de braço dado e ocupam a agenda mediática desde que esta existe. Mesmo sabendo-se que o escolar também é educação, nada justifica a ausência mediática da educação sem escolar. É que ainda por cima, essa é a fatia que leva a responsabilidade maior pelo abandono escolar.

 

Se continuarmos obcecados com o escolar tout court, não só não sairemos do mesmo sítio como daremos argumentos válidos aos que nos dizem que estamos condenados a empobrecer e a desaparecer.

 

 

do ex-guru do suprime

25.09.11

 

 

 

António Borges (agora no FMI), um ex-quadro da trágica Goldman Sachs, quer convencer-nos que o plano de privatizações em curso é uma boa solução para a economia portuguesa. Anunciou o mesmo em relação ao subprime e foi a hecatombe que se conhece.

 

Dá ideia que deixou a falida Goldman Sachs, mas que continua no espírito Goldman Saques.

 

António Borges (FMI): BRICS podem entrar nas privatizações em Portugal

O "exemplo óbvio" do que as potências emergentes do grupo conhecido por BRICS podem fazer por Portugal é olharem para as oportunidades do plano de privatizações.

"(...) Na conferência de imprensa, após a reunião, realizada pelo português António Borges, o chefe do Departamento Europeu do FMI, referiu-se explicitamente ao caso português. "Sobre o que os BRICS podem fazer ou não por Portugal, há um exemplo óbvio de como os BRICS podem ajudar. Portugal tem um plano de privatizações em curso, que muito apoiamos, e que poderá ter um grande impacto na eficiência da economia. Nós compreendemos que as empresas brasileiras utilizem esta oportunidade para entrarem na Europa, e se isso acontecer, creio que será muito, muito bem vindo". (...)"

 

Nota: BRICS (acrónimo para o grupo de grandes potências formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). São umas privatizações em que empresas do estado adquirem congéneres noutros estados.