Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

da transparência

23.06.11

 

 

Há dois aspectos fundamentais para que se possa classificar como moderno um sistema de informação: o tratamento da informação em tempo real e a transparência. Portugal tem ainda muito que andar nesses domínios. A notícia que pode ler a seguir, deve ter todo o nosso apoio. Vamos lá perceber os números crus e duros. Os últimos dias têm sido inacreditáveis, com as revelações do tribunal de contas. Chega de tanta batota.

 

Carvalho da Silva encabeça petição para uma auditoria à dívida portuguesa

burocracia e democracia

23.06.11

 

 

Li algures, que na Europa a burocracia avança em proporção da contracção da democracia. Concordo. Principalmente a má burocracia tem-se alastrado que nem uma bactéria. A necessidade de organização das sociedades criou uma clientela tecno-europeia de tal dimensão que já existem comparações pertinentes com o nefasto soviete supremo e com o kafkiano centralismo democrático.

 

O que é que podemos fazer? Muito. Desde logo, combater a praga no meio de nós. Em 2005, chegaram ao sistema escolar português umas guardas avançadas desses totalitarismos que se apressaram a decretar: os professores, os outros, nunca foram avaliados. Até na formação contínua a coisa vai passar a ser a sério com a introdução de quotas e de pontuações para que entrem na normalização. Deu em tragédia, como se comprovou também recentemente nas causas profundas do dez-geral-para-os-magistrados. A farsa em forma de módulos de 25 horas instalou-se num ápice. 99% das avaliações são má burocracia e faz de conta. Os conteúdos das inúmeras acções não incluíram um guião para a utilização de telemóveis, mas estiveram perto.

 

Não existe soviete supremo, nem sequer nacional-socialismo, sem o contributo, consciente ou não, da maioria das pessoas em estado de infantilização; e o mais grave, é que os construtores começam sempre ao serviço do povo, da ordem, do desconhecimento histórico, do agora-é-que-vai-ser e da normalização e contra a liberdade e a confiança nas pessoas e esquecendo a singularidade dos seres humanos.

e têm clientes?

23.06.11

 

 

Há quem se dedique a construir guiões para a elaboração dos relatórios de autoavaliação de professores e os coloque à venda através das editoras. Que me desculpem os autores, e estou longe de considerar se são ou não pessoas bem intencionadas, mas esse atrevimento é mais um sinal do estado a que chegou a formação contínua de professores. Realmente, há um longo trabalho a fazer. O grau de destruição foi muito acentuado e nos mais diversos domínios.