Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

fim de festa

02.06.11

 

 

As mudanças de clientela política denominam-se por fim de festa. No caso que se aproxima será mais de fim de tragédia ou de pesadelo. A seguir ver-se-á o alcance da mudança. O estado de alma com que se encara a decisão de mudar é taxativo: chega do que existe.

 

Nestas alturas impressionam, no caso da Educação, as movimentações dos trágicos-meddle-management-para-todo-o-serviço-que-têm-horror-às-salas-de-aula-e-que-empurraram-o-pais-para-a-bancarrota. Fazem campanhas de última hora e anunciam visitas que têm efeito boomerang: acentuam os sentimentos de revolta nos mais indecisos que ultimam um suspiro de voto útil. Fazem mais: tentam tranquilizar as tropas em pré-apeamento na esperança que um qualquer bloco central lhes prolongue o estatuto de parasitas. É demasiado triste o estado do nosso estado.

a vida e opiniões de tristram shandy

02.06.11

Nascido na Irlanda (1713 /1768), o escritor inglês Laurence Sterne tem na sua obra maior, “"A vida e opiniões de Tristram Shandy”", aquilo que muitos consideram o livro dos livros.

Um romance completamente surpreendente e apaixonante. Requer mais do que uma leitura, sempre com um prazer renovado.

Fique com o início do livro na tradução de Manuel Portela.

Capítulo I


"Quem me dera que o meu pai, ou a minha mãe, ou ambos, para dizer a verdade, uma vez que ambos estavam de serviço na ocasião, tivessem prestado mais atenção ao que estavam a fazer quando me conceberam; tivessem eles tomado em devida conta o quanto eu dependia daquilo que eles estavam a fazer;--- já que não estava em causa apenas a produção de um Ser racional, mas possivelmente a boa formação e temperatura do seu corpo, talvez até o seu génio e a qualidade do seu espírito;--- e, apesar do que pudessem pensar em contrário, mesmo a fortuna da sua casa podia ser determinada pelos humores e disposições que fossem então dominantes:------ Tivessem eles tomado tudo em devida conta e procedido em conformidade,------ estou verdadeiramente convencido que eu teria feito outra figura no mundo, muito diferente daquela em que o leitor provavelmente me há-de ver.--- Podeis acreditar, boas almas, que isto não é uma coisa assim tão insignificante como muitos de vós podereis pensar;--- já todos vós, atrevo-me a dizê-lo, tereis ouvido falar dos espíritos vitais, de como eles se transfusionam de pai para filho, etc. etc.— e de muitas coisas desse teor:--- Pois bem, podeis crer na minha palavra, nove em cada dez partes do senso ou da sandice de um homem, dos seus sucessos e fracassos neste mundo, dependem dos movimentos e actividade daqueles espíritos, e dos diferentes trajectos e calhas que tomam, de tal modo que uma vez postos em marcha, bem ou mal, não é assunto de meia tigela --- ei-los que se lançam com estardalhaço num corropio imparável; e ao pisarem e repisarem sempre os mesmos passos, acabam por fazer deles uma estrada, tão plana e direita como um caminho da horta, do qual uma vez que a ela se hajam acostumado, nem o próprio Diabo por vezes os consegue afastar. Dizei-me cá, meu amor, disse a minha mãe, não vos esquecestes por acaso de dar corda ao relógio?------- Valha-me D-------! Gritou o meu pai, lançando uma interjeição, mas tendo o cuidado de moderar a voz ao mesmo tempo,----- Onde é que alguma mulher, desde a criação do mundo, interrompeu um homem com pergunta tão disparatada? Perdão, o que estava o vosso pai a dizer?--- Nada".

 

(reedição - 1ª edição em 16 de Setembro de 2004)


sensações

02.06.11

 

 

"“Parece que certas realidades transcendentes emitem em torno de si radiações a que a multidão é sensível. É assim que, por exemplo, quando se dá um acontecimento, quando na fronteira está um exército em perigo ou derrotado, ou vitorioso, as notícias bastante nebulosas que dele chegam e de que o homem culto não sabe retirar grande coisa, provocam na multidão uma emoção que o surpreende e na qual, depois de os especialistas o terem posto ao corrente de verdadeira situação militar, ele reconhece a percepção pelo povo daquela “aura” que rodeia os grande acontecimentos e que pode ser visível a centenas de quilómetros”".

 

Marcel Proust

 

Em busca do tempo perdido

 

 

(1ª edição em 20 de Outubro de 2010)