Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

do exemplo islandês

10.04.11

 

 

O Paulo Jorge Bettencourt Girão é um amigo que frequentava a nossa casa e que a meio da universidade foi fazer um Erasmus à Noruega e que por lá ficou ligado à investigação em bioquímica, salvo erro; já lá vai quase uma década e o Paulo Girão conhece bem os países nórdicos e o exemplo islandês.

 

É, portanto, uma pessoa bem informada e que está numa situação privilegiada para estabelecer algumas comparações. Encontrou-me ontem no facebook e fez uma série de comentários a este post sobre a Islândia através desta entrada no facebook. Vale mesmo a pena ler. 

 

 

"O exemplo islandês tem sido utilizado muito nos ultimos tempos. Mas também gostave de sublinhar um par de factos acerca do povo islandês.

 

a) a populacão é muito pequena e, basicamente, toda a gente conhece toda a gente na ilha. Deste modo, é mais fácil atingir consensos de opinião e de accão.


b) nos países escandinavos há, em muito maior grau do que em qualquer outra parte do mundo, um elevado sentido de coesão e respeito cívico e social. Deste modo, o sistema político islandês, sueco, norueguês e finlandês é, em raiz, socialista puro e duro. O pessoal paga impostos muito altos (chega a atingir 50 % na Dinamarca), mas há um alto nivel de transparência governamental e confianca entre as pessoas e entre os governantes e os governados. O governo é, verdadeiramente, uma instituicão publica com o fim de servir os seus cidadãos.


c) o pessoal nos países escandinavos é liberal, tolerante e bastante pragmático. Saberá o comum dos portugueses, por exemplo, que a primeira-ministra islandesa é abertamente lésbica (a primeira no mundo)? Se fosse em Portugal, nunca seria eleita (por causa da sua "falta de moralidade"!).


d) na cultura escandinava impera um principio chamado "janteloven". É dificil de traduzir, mas significa que é considerado saloio (ou pouco respeitoso) o pessoal exibir riqueza ou estatuto social (no sul da europa é quase o oposto). Embora tendo um dos níveis de vida mais elevados do mundo, na Noruega tem-se o parque automóvel mais velho da europa. Um par de sapatos, quando comprado, é para durar 10 anos.


Em resposta ao Pedro Antunes: eu concordo (creio eu) com a tua opinião. Mas acho dificil mudar a mentalidade da populacão portuguesa num ápice. O socialismo escandinavo funciona, na sua essência, na escandinávia. Parece-me dificil implementar o mesmo sistema noutras partes do mundo. (P.S.: eu vivo na Noruega desde 2002, daí o meu comentário)."

cratera

10.04.11

 

 

Só por defeito se pode classificar como buraco o estado das nossas contas. Ninguém, mas mesmo ninguém do mainstream, se pode pôr de fora do número referente à cratera das PPP´s que não pára de aumentar. Do PR até aos partidos do arco da governação, ninguém tinha coragem para enfrentar o FEEFFMI. Mas podiam estar descansados: enviavam os sindicalistas governantes para a mesa de negociação que eles e elas estão habituados a negociar com "responsabilidade".

 

O mais caricato é a direita, com a benção deste PS, querer meter mais PPP´s na Educação. Reparem no counter (cresce ao minuto) das PPP´s.

 

 

quando é que não estaremos em crise?

10.04.11

 

 

Não é fácil escolher um exemplo que explique de forma taxativa a saúde financeira de um país. Mas, e como é domingo, até faço um exercício de risco depois de pensar um bom bocado e falando bem a sério: um país não estará em crise financeira quando não existirem mesmo almoços ou jantares pagos com dinheiros públicos.