Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

naturalmente

17.03.11

 

 

Se o ainda primeiro-ministro é o único candidato nas internas do PS, é natural que o também ganancioso PSD vença as próximas eleições legislativas. Naturalmente, o meu voto não irá para qualquer dos beligerantes imobiliários. Será um em não sei quantos milhões.

 

Quantifico de forma imprecisa o número de portugueses e receio que depois do dia 21 de Março o continuarei a fazer. O Censos 2011 apela a essa data para o recenseamento na rede e desconfio que a coisa entupa. Mas isso são manias minhas, que teimo em ser céptico em relação a um país que se tornou pato-bravista em hardware, porque essa coisa do software dá um bocado de trabalho.

da desmobilização à irresponsabilidade

17.03.11

 

 

Será tarde com toda a certeza e mais cedo do que muitos poderão esperar, mas as escolas do Estado terão de fazer nova mudança na sua forma de gestão e abandonar a irresponsabilidade de amontoar escolas. Será do mais elementar bom-senso.

 

Desde o início do milénio que umas iluminárias do poder central fustigaram as escolas com esta megalomania que arrasou qualquer das culturas organizacionais existentes. A coisa institucionalizou-se com um diploma legal (o 75 2008) que certificou a ideia de delapidar o poder democrático da escola e acordou as inconsciências que restavam ao envolver na tragédia, agora na versão mega-amontoado, as escolas secundárias.

 

A exemplo da avaliação de professores, que só funciona em regime de farsa e de fingimento, a gestão escolar, na versão amontoados, está a criar ambientes organizacionais em que a dispersão proporciona irresponsabilidade e desmobilização. Relacionar o caminho que se escolheu com a redução de custos, é pouco avisado e muito desconhecedor.

 

Fenprof vai divulgar estudo com balanço negativo dos mega agrupamentos

 

 

era muito interessante mesmo

17.03.11

 

 

Era muito interessante mesmo para o exercício democrático que a queda deste modelo de avaliação de professores, que é quase fascismo por via administrativa, caísse na Assembleia da República em virtude da entrada desta petição elaborada pelos professores da Escola Secundária com 3º ciclo Henrique Medina de Esposende. A Petição n.º 159/XI/2.ª já entrou no parlamento e a sua admissibilidade será analisada na Comissão Parlamentar de Educação no dia 23 de Março de 2011.