Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

quantos somos?

07.02.11

 

 

 

Não sabemos quantos somos. Tribunal constitucional e administração interna apresentam valores bem diferentes. Quando se inventou aquela coisa desmiolada dos professores titulares, consideraram-se para o concurso os dados dos últimos sete anos lectivos. Pessoa interessada perguntou-me o motivo. Disse-lhe que talvez tenha sido por causa do rigor dos dados. Os registos biográficos dos professores eram, e são, tão analógicos, que se contasse o tempo todo o concurso tinha de ser anunciado uns sete anos antes.

 

E podemos questionar: mas com tanto dinheiro gasto no plano tecnológico não conseguimos saber quantos somos? Hardware e software são investimentos diferentes. Para o primeiro basta que se navegue em milhões, de preferência emprestados, enquanto que para o segundo é necessário cavalgar muitas horas de trabalho e os empréstimos não dão bons resultados. É também o que se passa com a parque escolar.sa.

charada

07.02.11

 

 

 

Há sinais que indicam a erupção de uma contestação cujos limites são muito difíceis de prever. Como responde o mainstream? Os profissionais da luta, que se intitulam de únicos, já avançaram com uma medida "drástica" que pode ajudar a descomprimir.

só agora?

07.02.11

 

 

Há militantes e simpatizantes do PS que levaram anos a ver o óbvio. A Educação está mergulhada em políticas nefastas desde 2006 e 2007. Mas já se sabe: o cimento do poder faz milagres.

 

Autoritarismo do PS de Sócrates ultrapassa "centralismo democrático" de Lenine

É um retrato arrasador do PS, do Governo e de José Sócrates. A ponto de Ana Benavente, secretária de Estado da Educação de António Guterres (1995-2001), dizer que jamais pertenceria a um Governo de José Sócrates com uma pasta idêntica. "Porque, se o fosse, já teria apresentado a minha demissão." A confissão da ex-dirigente socialista é feita numa entrevista à Revista Lusófona de Educação.

(...)O PS tornou-se "neoliberal" - "fazer do capital financeiro o dono e árbitro do desenvolvimento económico é uma capitulação face ao neoliberalismo que não é digna de um partido socialista". Mas há mais. No PS, há falta de debate interno e Ana Benavente critica "o autoritarismo da actual liderança". "Tornou-se autocrata, distribuindo lugares e privilégios, ultrapassando até o "centralismo democrático" de Lenine. Alimentando promiscuidades que recuso", lê-se na entrevista.

(...)Na área da Educação, a ex-governante acusa Sócrates e o Governo de, nos últimos seis anos, terem "maltratado" a escola pública com políticas educativas "marcadas pela centralização" ou pelo "questionamento da qualidade" dos professores através do sistema de avaliação ou da publicação de rankings de escolas.

balanço e maré a encher

07.02.11

 

 

 

 

 

 

Os professores de EVT não desistem ("na próxima terça, dia 8 Fevereiro, à frente da Assembleia da República com um basta ao roubo que representa o "caldeirão" BPN") e recebem apoios; aqui.

 

Entretanto, há mais notícias interessantes.

 

Plataforma sindical de professores regressa com mais aliados