Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

é hora

20.01.11

 

 

A avaliação de professores continua o desmiolo que se sabe e este modelo já obteve reprovações suficientes. É um rol de injustiças impregnado de má burocracia e de indicadores imensuráveis.

 

O ambiente relacional e organizacional das escolas já está muito para além dos limites.

 

Chega. Bem sei que estamos focados em eleições, mas logo que esse calendário se cumpra a contestação tem de dar sinal de si.

mais sondagens presidenciais

20.01.11

 

 

 

Desta vez os resultados são diferentes. Cavaco Silva continua a ser eleito à primeira volta mas com um intervalo que o aproxima mais dos 50% do que dos 60%. Manuel Alegre entra na casa dos 20%, Fernando Nobre desce para um dígito e Francisco Lopes aproxima-se dos dois. Os outros candidatos continuam com valores pouco significativos. Aguardam-se os desenvolvimentos.

cortes baralhados

20.01.11

 

 

 

 

 

 

Esta coisa dos cortes salariais está a revelar algo que se desconfiava: os funcionários públicos é que estão a nacionalizar grande parte dos prejuízos e até as empresas públicas estão a "adiar" o contributo. Ontem até teve piada o conselho a Portugal do presidente do Banco Central Europeu: "sejam moderados nos aumentos salariais". A sério. O senhor estava a falar para o seu universo. Os funcionários do estado são matéria coletável, com exceção dos lugares que alimentam a oligarquia das benesses ilimitadas.

 

O Paulo Guinote tem, aqui, uma pertinente análise de inconstitucionalidade.

sos escola pública

20.01.11

 

 

O Movimento Escola Pública faz o seguinte post sobre a situação vigente:

 

"Adensam-se nuvens negras sobre a Escola Pública. Em nome da contenção da despesa no sector da Educação, a Resolução do Conselho de Ministros nº 101-A de 2010, de 27 de Dezembro, e o Projecto de Despacho sobre a organização do Trabalho nos agrupamentos ou escolas não agrupadas vêm desregular a escola pública e acelerar o seu desmantelamento.(...)" O texto continua aqui.