Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

de que lado está o vento?

10.01.11

 

 

 

 

 

Cavaco Silva tentou passar entre os pingos da chuva, mas ficou como o boneco da imagem; a culpa foi do vento.

 

Procurei ver as entrevistas que a RTP1 fez aos candidatos presidenciais. Cavaco Silva, um mísero professor (nós registamos) de acordo com os seus altos critérios (Dias Loureiro e Oliveira e Costa não serão miseráveis e infelizes), cumpriu as baixas expectativas e mantém-se como um bom aluno dos mercados mesmo que para isso tenha de hipotecar os portugueses. Aliás, o candidato coloca-se na posição de poder ajudar os portugueses; portanto, do lado de fora.

 

Questionado se entende que os mercados estão a ser injustos com Portugal, o ainda presidente afirmou que não diria isso para não insultar os ditos. A sério que foi assim.

 

Para quem viu, segue-se um esclarecimento que a entrevista terá ajudado a baralhar.

 

Significados.

 

Ressentido: adjectivo que significa ofendido; melindrado.

 

Desonesto: adjectivo que pode ter cinco significados: que não revela honestidade; contrário à honestidade, ao decoro e ao pudor; obsceno; indecoroso; indigno; que prevaricou; infiel.

 

Injusto: adjectivo que significa que não é justo; oposto à justiça; arbitrário; ilegal.

 

Insulto: nome masculino que significa ato ou palavra ofensiva; injúria, afronta; ofensa; agravo; ultraje.

 

Mísero: adjectivo que significa miserável; desgraçado; infeliz; pobre; avarento; mesquinho.

alguma piada

10.01.11

 

 

O cómico e o trágico passeiam de braço dado. Têm alguma piada os fervorosos defensores de Cavaco Silva. Advogam a entrada imediata do FMI porque as contas do país estão a arder, mas querem pôr-se de fora das causas.

 

Não façamos juízos de carácter. Olhemos apenas para quem nos governou ou exerceu presidências desde que os fundos europeu deram entrada. Em 23 anos, Cavaco Silva exerceu o poder em 13: 8 como chefe do governo e os restantes como presidente.

 

Veja-se quem são e onde estão grande parte dos seus mais directos colaboradores. Se o tema do dia são as reformas dos políticos, será que os apoiantes de Cavaco Silva podem afirmar que o atual presidente nada tem a ver com isso?

 

Também escusam de proclamar que eleger Cavaco Silva é correr com Sócrates. Os mais fervorosos apoiantes do primeiro-ministro apoiam Cavaco Silva - ou juram não votar em Manuel Alegre - e lá sabem porquê.

 

Um homem é também as suas circunstâncias. A face oculta e o caso SLN e BPN são faces da mesma moeda. Se Portugal quer mesmo mudar de vida, tem de se libertar dos predadores da democracia.

entre o óbvio e o desconhecedor

10.01.11

 

 

 

Todavia, importa considerar as conclusões de Rascão[1] (2004, pág. 17) quando escreveu que “(...) praticamente todos os manuais de tecnologias de informação e das comunicações falam dos sistemas na perspectiva tecnológica e não na perspectiva da gestão, pelo que tem existido um grande confusão entre o que é a tecnologia do produto (software) e a do processo (hardware) e o produto (informação), uma vez que jamais foi feita de uma forma clara e precisa a separação entre o que suporta (a tecnologia) e o que é suportado (a informação). (...)”.



[1] Em “Sistema de Informação para as organizações”, José Rascão, Lisboa 2004, Edições Sílabo.

20 milhões

10.01.11

 

 

 

 

Já são tantos os milhões de que se fala que temos dificuldade em racionalizar a coisa. E, às tantas, e como bem diz Noam Chomsky, a intenção é mesmo essa.

 

A notícia do DN diz ainda assim: "Há mais de 4500 pensionistas a receber mais de 4000 euros por mês. Em 2011 regista-se o valor mais alto de sempre com as reformas dos políticos. Estas e outras conclusões na edição impressa do DN."

 

Não sei como é que se põe de vez fim a este despautério. Um politólogo dizia um dia destes: "falta-nos experimentar políticos exigentes e eleitores exigentes". Para começar, não me parecia nada mal mudar de presidente e de governo. Provavelmente, seria mais eficiente do que mandar vir o FMI.

 

Se a opção tiver de ser o FMI, era bom que fosse na mesma com outros actores. Evita-se a contaminação nos dois sentidos. Caso contrário, Portugal pode entrar em estado de sítio para se libertar dos gananciosos que aprisionaram a democracia. Face oculta e BPN são duas faces da mesma moeda.

 

Escusam de fazer perguntas sobre este euros para reformas ao ministro das finanças porque ele vai responder que são amendoins e que é provável que tenha de fazer novo corte nos salários dos funcionário públicos.

 

Pode saber mais aqui.