Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

13 magníficos

18.11.09

 

 

Foi daqui. 

 

 

Recebi um email da colega Ana Lima do blogue "O vento que passa". Pede-me a Ana que vá ler a "carta aberta" que publicou, aqui, em que faz uma crítica aos treze colegas, em que me incluí, que assinaram uma moção como uma declaração pública de não entrega da ficha de auto-avaliação. Já reparei que o assunto tem provocado alguma polémica na blogosfera. 

Uns dias após a publicação do manifesto, escrevi um texto que fui buscar e que colo de seguida. Tenho todo o respeito pela Ana Lima, mas nada mais tenho a acrescentar sobre o assunto.

 

 

"Subscrevi um pequeno texto (contra a avaliação de docentes enquanto mistificação) que tem gerado alguma polémica no seio da justa luta dos professores. A sua primeira publicação ocorreu na edição impressa do jornal público do dia 13 de Junho de 2009. Seguiu-se a divulgação pelos diversos blogues de professores e retive-me numa leitura atenta dos diversos comentários. Mantive uma silente contenção e esperei que a poeira assentasse um pouco. Já se sabe que neste tempo de turbilhão informativo e de vórtice inaudito as partículas granulosas não teimam em regressar ao sossego; e o meu cérebro exige-me disciplina.

 

Talvez nem perca muito com esta decisão. Se for penalizado é algo que só a mim me diz respeito. De pouco me vale invocar os valores monetários que fui desperdiçando ao longo da vida em nome da coerência de ideias ou de atitudes. Os que me conhecem sabem que sou tolerante e diplomata, mas que também me regulo por uma firme e determinada exigência individual com total respeito pelas posições dos que convivem comigo. Não adiantaria invocar, ainda, outros momentos da minha vida onde algo de semelhante aconteceu; e nem sempre venci.

(...) Subscrevi o texto em causa por solidariedade com quem o fazia, com a intenção de o fazer quase sempre às causas e aos amigos e para reafirmar a coerência em não participar na mistificação em que se inscreve o actual modelo de avaliação. Transmiti isto aos meus colegas assinantes. 

 

Sei que posso parecer exorbitante com isto que estou a escrever. Mas é assim. E nada mais acrescentarei no domínio das minhas circunstâncias individuais. Nem herói nem mártir como sempre fiz questão de afirmar.

 

Tenho, naturalmente, muito mais palavras para escrever sobre a auto-avaliação em termos técnicos, políticos e jurídicos. Darei conta de tudo isso quando os meus critérios julgarem oportuno."

 

Adenda às 23.55: informam-me que a Ana Lima retirou o post.

outro degrau da mais elementar justiça

18.11.09

 

Foi daqui.

 

 

 

 

Avaliação: Falha de entrega de documentos sem penalização

 

"Os professores que não entregaram os elementos de avaliação não serão penalizados, declarou hoje o secretário-geral da Federação Nacional de Professores (FENPROF), Mário Nogueira.

«Foi-nos dito que a ministra da Educação iria actuar para que não houvesse penalizações aos professores em relação ao primeiro ciclo (de avaliação)», relatou Mário Nogueira, após uma reunião com o secretário de Estado adjunto e da Educação, Alexandre Ventura.

O Governo retomou hoje o diálogo com as estruturas sindicais, tendo apresentado o calendário negocial relativo ao Estatuto da Carreira Docente e ao modelo de avaliação."

 

assistamos com deleite: é bonita a festa no reino da incoerência

18.11.09

 

Foi daqui. 

 

 

CDS-PP insiste na suspensão do modelo de avaliação dos professores

 

"O líder parlamentar do CDS-PP defendeu hoje que o Governo deve aceitar a suspensão legal da avaliação dos professores, uma vez que já garantiu que dará indicações às escolas para não iniciarem os procedimentos do segundo ciclo avaliativo.(...)"

 

mais um degrau; mas os mais indefectíveis podem continuar a saga e até protestar a favor do inexequível monstro burocrático

18.11.09

 

Foi daqui.

 

 

Governo vai informar escolas sobre novas regras da avaliação, diz FNE

 

"A Federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FNE) revelou hoje a intenção do Governo de informar as escolas sobre a cessação dos procedimentos a seguir relativamente à avaliação dos professores, "pois haverá novas regras".

"As escolas vão ser informadas muito em breve que será desnecessário levar por diante os procedimentos, pois haverá novas regras", declarou o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, no final de uma reunião com os secretário de Estado Adjunto e da Educação, Alexandre Ventura.(...)"

 

ou em

 

Governo vai informar escolas sobre mudanças na avaliação

 

 

esboroar do monstro (18)

18.11.09

 

 

 

Foi daqui.

 

 

Esta rubrica vai ter hoje a última entrada e foi dedicada ao esbororar do inexequível modelo de avaliação dos professores. Caiu porque era inaplicável e um monstro de burocracia. Espero não ter de a reabrir: acredito que alguma lição foi aprendida.

 

 

Mário Nogueira: "Este modelo de avaliação acabou"

 

"Mário Nogueira, dirigente de Fenprof, afirmou hoje à saída da reunião com a ministra da Educação: "Este modelo de avaliação acabou"."

 

aí vamos nós

18.11.09

 

 

Foi daqui.

 

 

 

Já se vão ouvindo notícias que anunciam o fim da divisão da carreira e Isabel Alçada confirma o esboroar definitivo do monstro burocrático da avaliação dos professores.

 

Professores: ministra confirma que vai haver novo modelo de avaliação

 

"A ministra da Educação vai apresentar nesta quarta-feira um calendário aos sindicatos para negociar novas regras na avaliação de desempenho e no estatuto da carreira docente.

Isabel Alçada admite que haverá um novo modelo de avaliação e um novo estatuto, mas frisou que optou por não suspender o que está em vigor para não haver «um vazio legal», informa a agência Lusa

Além do calendário, a ministra assumiu que apresentará mais alguma coisa aos sindicatos para fechar este ciclo de avaliação, escudando-se a revelar pormenores do que tenciona apresentar em primeira-mão aos representantes dos professores.(...)"