Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

a resposta esperada num jogo arriscado

03.11.09

 

 

Foi daqui.

 

 

Depois das declarações do novo ministro dos assuntos parlamentares à TSF em que disse que "está fora de questão suspender o modelo de avaliação de professores" - pode conhecer detalhes na entrada imediatamente anterior deste blogue -, eis que a oposição responde como se esperava e em uníssono. Já se sabe que os partidos da oposição evoluíram muito nesta matéria e, por oportunismo ou não, manifestam uma posição de suspensão como condição para a construção de uma solução verdadeiramente nova. Quem conhece bem a matéria reconhece que é esse o caminho, já que o que existe é uma manta de retalhos sem pés nem cabeça, muito descredibilizada e com pormenores - cotas, por exemplo - que já ninguém defende como exequíveis.

 

Ora leia a resposta da oposição.

 

Oposição insiste em parar avaliação de professores

 

"Da esquerda à direita, os partidos da oposição respondem no mesmo tom às declarações de hoje do ministro dos Assuntos Parlamentares: sem a suspensão do actual modelo não é possível construir outro.(...)"

 

instala-se o mesmo ar irrespirável?

03.11.09

 

 

 

Foi daqui.

 

 

 

A avaliação de professores proposta pelo governo do ps foi o desastre que se conhece. Nesse domínio, a situação está pior do que há quatro anos. As escolas, muito poucas, sublinhe-se, que têm classificações de professores guardam-nas a sete chaves com receio de publicar tamanhas injustiças. As restantes fazem de conta e jogam um regime de fingimento que até mete dó. Mas os "novos" responsáveis pelas políticas do governo continuam a usar a escola, o seu clima relacional e o poder democrático da causa pública como arma de arremesso e de chantagem político-partidária. Não aprenderam a lição e dá ideia que querem voltar aos tempos da guerra. Chega de hipocrisia e de cinismo. Quem passou mais de metade de uma legislatura a adulterar a realidade para agradar ao lumpen, deveria agora fazer mea culpa e dar corpo aos sinais delicados transmitidos na campanha eleitoral. Mas não é isso que se começa a evidenciar.

 

Ora repare na notícia que se segue.

 

Ministro dos Assuntos Parlamentares diz que avaliação dos professores não é para suspender

 

"O ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão, garante que está fora de questão o Governo suspender a avaliação dos professores. Em declarações à TSF, Jorge Lacão afirma que o Executivo só está disponível para aperfeiçoar o actual modelo e apela ao sentido de responsabilidade da oposição.(...)"