Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

agir

31.10.09

 

Foi daqui.

 

Obama anuncia fim da proibição de entrada nos EUA de seropositivos

 

 

"O presidente norte-americano, Barack Obama, anunciou sexta-feira o fim da proibição para os doentes de sida de viajarem para os Estados Unidos, veto que permanecia em vigor desde 1987.

A ordem para cancelar essa proibição será emitida segunda-feira e entrará em vigor no início de 2010, logo que tenha transcorrido um período de espera de sessenta dias, indicou Obama numa cerimónia na Casa Branca para assinar a prorrogação de um programa de luta contra a síndroma da imunodeficiência adquirida.

Recordou que "há 22 anos, numa decisão baseada no medo mais do que nos factos, os Estados Unidos impuseram a proibição a quem fosse portador do vírus da sida de poder entrar no seu território",(...)"

 

 

 

 

da blogosfera (007)

31.10.09

 

 

Foi daqui

 

 

 

 

"Os portugueses agradecer-lhe-ão, Senhora Ministra, tudo o que fizer pela escola; aqui.

 

Se me permite que me exprima desta forma, Senhora Ministra, estou preocupado com a sua agenda. Há quem se ponha em bicos de pés e quem se esgueire para ocupar uma posição vantajosa na grelha de partida. Refiro-me evidentemente ao CDS/PP e aos Sindicatos. O primeiro quer mostrar desde já que é o mais fiável interlocutor da maioria relativa. Os segundos querem recuperar o espaço que tinham perdido para os diversos movimentos não sindicais de professores. Todos eles, embora, de modos distintos, querem impor à Educação uma única agenda: a dos professores.

 

Cara Isabel Alçada, não cometa o erro de aceitar esse condicionamento. A agenda da Educação tem de ser recentrada na escola. Na escola. Na escola. Pagámos um preço demasiado elevado pelo desvio desta linha que a sua antecessora não conseguiu evitar nem corrigir.
Deste ponto de vista, a sua primeira intervenção na discussão do programa do Governo, é fundamental. A mediação do CDS e a ameaça sindical não são o foco do debate, embora tudo estejam a fazer para que assim pareça. Escolha criteriosamente os temas do debate e enuncie propósitos claros e exequíveis. Os portugueses compreenderão."