Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

e não há quem acabe de vez com esta má formação?

01.10.09

 

 

Foi daqui.

 

 

 

Ministério contraria direcção regional, que pedia atestado médico aos professores

 

"O Ministério da Educação esclareceu hoje que os professores podem apresentar uma declaração assinada por si em vez de um atestado médico a comprovar a sua robustez física, contrariando instruções dadas pela Direcção Regional de Educação do Norte às escolas. “Bastará a declaração assinada pelo próprio”, disse fonte do ministério.

A Direcção Regional de Educação do Norte (DREN) enviou para as escolas um e-mail em que obriga os professores a entregarem um atestado médico de robustez física que foi extinto por decreto-lei do Simplex. No e-mail enviado aos directores das escolas, a DREN alega que o Estatuto da Carreira Docente (ECD - decreto-lei nº. 15/2007, de 19 de Janeiro) “é considerado legislação especial”, pelo que se mantém a “exigência de apresentação do atestado de robustez física emitido pelo médico”.(...)"

o valor de um estado

01.10.09

 

 

 

 

 

Haverá decerto muito caminho a percorrer até que se perceba o quão nefastas foram as actuais políticas educativas para a afirmação da escola pública de qualidade para todos e do seu poder democrático.

 

Stuart Mill relaciona o valor de um estado com a ideia de liberdade.

 

Ora leia as palavras seguintes e verifique a analogia com o que se passa no Portugal em que vamos vivendo.

 

 

“(…) O valor de um Estado, a longo prazo, é o valor dos indivíduos que o compõem; e um Estado que adie os interesses do desenvolvimento e elevação mental (…), em detrimento de um pouco mais de competência administrativa, ou aquela aparência de competência nos pormenores do negócio que se adquire através da prática; um Estado que inferiorize as suas pessoas, de modo a que sejam instrumentos mais dóceis nas suas mãos, até com fins benéficos, descobrirá que com pessoas pequenas nada de grande se poderia alguma vez realmente alcançar; e que a perfeição da máquina, pela qual sacrificou tudo, no fim de contas de nada servirá, por falta do poder vital que preferiu erradicar, para que a máquina trabalhasse mais suavemente.” 

 

 

John Stuart Mill, Sobre a Liberdade,

Edições 70, Lisboa, 2006 (págs. 185-186 e 188-189),

traduzido por Pedro Madeira.

 

movimento de cidadãos lança apelo (fiz um adenda ao post anterior sobre o mesmo assunto)

01.10.09

 

 

PS, CDU e BE devem procurar “solução de Governo”

 

"Um movimento de cidadãos oriundos de vários quadrantes ideológicos da esquerda lançaram hoje o apelo para que o “umbigo” de cada partido da esquerda “não seja superior ao interesse nacional”.

Perante os resultados das legislativas, que deram à esquerda uma maioria parlamentar, os subscritores do movimento “Compromisso à Esquerda” defendem um entendimento entre o PS, a CDU e o Bloco de Esquerda (BE) para que seja alcançada uma “solução de governo”, que poderá passar por uma coligação ou por acordos de incidência parlamentar.(...)

No manifesto “Compromisso à Esquerda – Apelo à estabilidade governativa” (disponível no site www.compromissoaesquerda.com), os signatários escrevem que os resultados de domingo revelam que os eleitores têm “uma inquestionável vontade de entendimento entre os partidos da esquerda”(...)"

 

Encontra aqui o documento integral (também o vou colar de seguida) que pode assinar e divulgar. Subscrevi o apelo na companhia do Paulo Guinote e da Rosário Gama, entre outros, antes de se saber os resultados das eleições (uns quatro ou cinco dias antes) e a convite de Nuno David.

 

"Apelo à estabilidade governativa.

O resultado das eleições legislativas permite afirmar com clareza que os portugueses recusaram a hegemonia neo-liberal, dando o seu voto maioritariamente à esquerda. É por isso legítimo esperar que o futuro governo do país acolha novas políticas solidárias, relançando a prosperidade e a esperança no futuro. 

A 27 de Setembro os eleitores revelaram uma inquestionável vontade de entendimento entre os partidos de esquerda. As votações alcançadas pelo Partido Socialista, pelo Bloco de Esquerda e pela Coligação Democrática Unitária são o resultado das fortes movimentações sociais ocorridas na legislatura passada, tendo contribuído decisivamente para gerar uma nova solução pluripartidária susceptível de encontrar respostas aos factores de crise e desigualdade social. 

Os entendimentos entre as diversas forças de esquerda para uma solução de governo (coligação ou acordo de incidência parlamentar) são muito comuns na Europa Ocidental (por exemplo, no Chipre, em Espanha, em França, na Itália, na Suécia, na Dinamarca, na Noruega, na Finlândia, etc...). 

Em Portugal, pelo contrário, há mais de 30 anos que as esquerdas continuam incapazes de se entender para gerarem soluções de governo. Contudo, vários estudos têm revelado que este elemento resulta de um crescente desfasamento entre os eleitores destes partidos (que desejam um entendimento) e os seus eleitos (que persistem na incomunicabilidade). 

Os resultados de 27 de Setembro exigem que as esquerdas se encontrem e sejam capazes de explicitar o contributo que cada um destes partidos está disposto a dar para se encontrar uma solução estável de governo. Pelo menos essa tentativa de entendimento é devida ao povo português pela forma como demonstrou a sua vontade eleitoral. 

Os subscritores do presente Apelo agem no sentido de que seja traduzido num programa de governo as lutas e anseios de amplas camadas da população que justificam celeridade na construção de respostas urgentes e adequadas para os problemas do seu quotidiano. Para servir este objectivo, deverão ser estudadas as bases para um Compromisso à Esquerda que reforce as conquistas democráticas, vinculando a acção governativa a um elenco programático."