Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

então e nós?!!! então e nós?!!!

24.09.09

 

 

Foi daqui.

 

 

Jerónimo diz que a primeira resposta a acordo pós-eleitoral não será negativa

 

"O secretário-geral do PCP admitiu, esta quinta-feira, que se o PS o contactasse após as eleições legislativas para formar uma coligação, a sua primeira resposta não seria não. No entanto, Jerónimo de Sousa frisou que a decisão dependerá sempre da política que o PS quererá implementar.(...)"

 

 

Então mas a CDU não era tão crítica de uma solução destas entre o partido do governo e os bloquistas?

 

Leia aqui a pertinente entrada do Paulo Guinote sobre este assunto.

reparação de danos depois da agitação "involuntária" dos fantasmas

24.09.09

 

Foi daqui.

 

 

 

Mário Soares admite apenas "acordos pontuais" pós-eleitorais com o BE

 

"O "histórico" socialista Mário Soares disse hoje que a possibilidade de uma coligação do PS com o BE foi "uma coisa inventada pela comunicação social", e admitiu apenas "acordos pontuais" pós-eleitorais.

"Isso foi uma coisa inventada pela comunicação social. Não há coligações, mas pode haver acordos pontuais, no futuro. Mas isso depende das pessoas, dos resultados... Falar nisso agora é só para embrulhar as coisas", observou Mário Soares, em declarações aos jornalistas, no final da cerimónia de doutoramento Honoris Causa do presidente do Grupo Bial, Luís Portela.(...)"

carta aberta

24.09.09

 

 

 

"Nestes dias que correm de conflito no sector da educação ninguém contestará que as mudanças introduzidas pelo governo têm levado às mais variadas reacções vindas dos mais diversos sectores políticos e sociais. Se parece amplamente justificável que o governo tenha definido a reforma da educação como uma das suas prioridades estratégicas, as evidências trazidas a público sobre a ineficiência dos mecanismos de gestão agora introduzidos sugerem que estas reformas estarão mal fundamentadas. Impregnadas de um espírito autoritário, excessivo controle de gestão e burocratização da avaliação dos professores, as práticas de participação democrática nas escolas tendem a desvanecer-se, apresentando-se a colegialidade e a participação cidadã como obstáculos à modernização da escola pública. Este é um paradigma perigoso para o exercício da cidadania, a que o MIC não pode deixar de dar a sua maior atenção. 

Talvez não seja por acaso que, num recente editorial da Revista ops! Manuel Alegre afirmava que a Escola Pública e as Universidades têm de formar cidadãos e não apenas quadros empresariais. O exercício da cidadania não se faz sem uma educação democrática e emancipatória. E a cidadania também não se faz sem diálogo. É por isso que o actual impasse na resolução do conflito não é só prejudicial para o sistema educativo como um todo, mas também pelo mau exemplo que o entrincheiramento dos nossos políticos em posições inflexíveis dá aos nossos jovens, cidadãos do futuro. Neste contexto, é preciso pensar claro e agir em conformidade. Parece cada vez mais consensual, em todos os sectores da sociedade portuguesa, que as reformas na educação recentemente introduzidas precisam ser redimensionadas, ou mesmo extensivamente repensadas. O orgulho e o calculismo político não devem sobrepor-se a uma questão tão importante como a educação. São os nossos estudantes e alunos, jovens cidadãos do futuro, que mais estão em causa neste conflito."

 


Nuno David 
Professor

é bom que tenhamos memória

24.09.09

 

Foi daqui.

 

Barómetro reforça vitória do PS que fica oito pontos à frente do PSD

 

"Um novo barómetro ontem divulgado vem dar uma nova vitória ao PS nas eleições legislativas que se realizam já este domingo. De acordo com o barómetro da Marktest realizado para a TSF e o “Diário Económico”, se o escrutínio fosse hoje os socialistas conquistariam 40 por cento das intenções de voto, seguidos dos social-democratas que ficavam pouco abaixo dos 32 por cento.

O barómetro desfaz, assim, o empate técnico a que se tinha chegado no início do mês e mostra que, desde o início da campanha eleitoral, o PS tem vindo a ganhar terreno e o PSD a perder alguma força. O que mostrou ser motivo suficiente para o partido de José Sócrates deixar de pedir apenas uma vitória para voltar a falar em maioria absoluta, ainda que de forma pouco clara – uma expressão que estava cada vez mais afastada dos comícios.(...)"

 

À medida que se aproxima o dia das eleições legislativas importa fazer um exercício de memória e recordar o que foram os últimos quatro anos na Educação. E por mais que o governo se desdobre em arrependimentos e em delicadezas, é seguro que a escola pública e o seu poder democrático só poderão ficar descansados se o partido do actual governo perder a maioria absoluta. E nesse sentido todos os votos contam.

histórias de caçadeira

24.09.09

 

 

Foi daqui.

 

 

 

Foi a escolha do CCC das Caldas da Rainha para a noite de 21 de Setembro de 2009. O filme de Jeff Nichols pega num argumento na linha de "Este não é um país para velhos" dos irmãos Cohen e constrói uma narrativa interessante. Este thriller não é tão duro nem vai tão ao osso como a desconcertante obra dos irmãos Cohen, mas merece uma oportunidade dos que gostam do cinema que foge ao circuito mais mainstream. São 92 minutos (um tempo adequado para as desconfortáveis cadeiras do auditório) num registo envolvido por uma atmosfera em que a ideia de pocrastinar tranquilamente faz suspeitar a erupção a qualquer momento da violência mais brutal. 

 

A sinopse do site do CCC diz assim:

 

«Histórias de Caçadeira» segue um conflito que irrompe entre dois grupos de meio-irmãos a seguir à morte do pai.

Son Hayes nunca fala das cicatrizes que tem nas costas: os chumbos de caçadeira desenham debaixo da pele um padrão de pontos negros e azuis.

Os homens com quem trabalha fazem apostas sobre como as ganhou. 
Son é irmão de Boy e Kid - o pai que os abandonara nunca se importou em dar aos filhos nomes como deve ser.

E os três crescem com a mãe amarga.

Nos campos de algodão e nas pequenas estradas do Sudeste de Arkansas, estes irmãos descobrem o que estão dispostos a percorrer para proteger a família."

 

Pode ver um trailer.