Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

e o ps pode acusar o presidente de o encostar à esquerda - teremos assim um empate central para a salvação nacional

30.09.09

 

 

Foi daqui.

 

 

Cavaco acusa PS de o querer “encostar” ao PSD e à campanha eleitoral

 

"O Presidente da República fez hoje uma declaração ao país para dizer que considera que durante a campanha eleitoral o PS produziu várias declarações e teve atitudes que tinham como objectivo encostá-lo ao PSD e, ao mesmo tempo, “desviar as atenções do debate eleitoral das questões que realmente preocupavam os cidadãos”.

Para Cavaco Silva “foram ultrapassados os limites do tolerável e da decência” mas garantiu que “o Presidente da República não cede a pressões nem se deixa condicionar, seja por quem for” pois “Portugal está primeiro” e defenderá sempre os seus “superiores interesses”.(...)"

 

 

E até podemos começar a delirar inspirados nas intervenções acaloradas e sectárias de Pacheco Pereira, Nuno Rogeiro ou Van Zeller: golpe de estado? 4ª República com uma refundação do regime para um pendor presidencialista mais determinante? desrespeito pelos resultados eleitorais e aceitação exclusiva de uma solução governativa apenas com os partidos do "arco do poder" ou do bloco central? 

O tempo lá se encarregará dos naturais esclarecimentos.

sem medo e sem vergonha

30.09.09

 

Foi daqui.

 

Professores exigem que oposição cumpra promessas e suspendam modelo de avaliação

 

"Os movimentos independentes de professores não vão deixar que os novos deputados tenham tempo para se acomodar. Com o PS sem maioria absoluta, irão exigir que os partidos da oposição cumpram promessas. Primeiro passo: mal o novo parlamento entre em funções, vão solicitar que "sejam agendadas com urgência iniciativas parlamentares com vista à suspensão" do novo Estatuto da Carreira Docente (ECD) e do modelo de avaliação de desempenho que se lhe seguiu, confirmou ao PÚBLICO um dos dirigentes da Associação de Professores e Educadores em Defesa do Ensino (APEDE).(...)"

 

É bom que não sejam só os movimentos de professores a fazer este trabalho de casa. Espera-se que os sindicatos de professores actuem com firmeza desde o início da legislatura e não comecem já com tácticas de aproximação ao "adversário". Há importantes e decisivos assuntos que merecem todo o empenho; a começar pela avaliação e pelo estatuto da carreira e sem esquecer a gestão escolar. Aliás, este último dossiê pode não cair totalmente nos tempos mais próximos, mas deve levar uns abanões decisivos; desde logo, a inaplicabilidade da avaliação da componente funcional por parte do órgão unipessoal (e por qualquer outro, claro) e os processos de selecção do director e das lideranças intermédias. Não tenhamos nem medo nem vergonha de defender a democracia.

a fuga é uma passagem inútil

29.09.09

 

 

 

 

 

 

A tão aguardada intervenção do actual Presidente da República deixou-me estupefacto: fiquei nesse estado porque não percebi para que é que serviu tanta encenação. É muita sofisticação para o mortal entendimento de um cidadão meio incrédulo com o estado da nação.

 

A meio da comunicação já tinha perdido a motivação para seguir a coisa com atenção (e juro que estava a tentar); parecia uma cena de um daqueles filmes de terceira categoria em que alguém interpreta o papel de chefe de uma nação impossível de existir.

 

Pareceu-me que Cavaco Silva, ao tentar fazer passar a imagem da mais alta isenção, acabou por prejudicar os partidos do bloco central durante a campanha eleitoral: primeiro o partido do governo (o senhor ficou incomodado, belisquem-se, com um tal de Junqueiro e com o ex-porta-voz Vitalino Canas?; mas pior: levantou suspeitas sem dizer os nomes) e depois o partido que representou durante anos; e ainda consegue sair chamuscado.

 

Este assunto é grave e mais grave se torna porque Cavaco Silva não retira o governo do meio desta coisa, nem tão pouco de modo mais institucional.

 

Veremos as cenas dos próximos episódios. Para já, esta comunicação nada esclareceu e deixou espaço para as maiores especulações.

 

PS: sabe-se que Cavaco Silva esteve hoje a receber peritos na verificação da segurança dos seus emails; ufa!!! e eu a pensar que eram apenas os bloggers que tinham a obsessão com essa teoria da conspiração.

do centralismo que nos atrofia

29.09.09

 

Foi daqui.

 

 

 

Salas do pré-escolar com mais de 20 alunos recebem 340 euros para material didáctico

 

"Cada sala do pré-escolar com mais de 20 alunos vai receber este ano lectivo um apoio financeiro para aquisição de material didáctico de 340 euros, mais seis do que em 2008/09, segundo um despacho publicado hoje.

Segundo um despacho do secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, publicado hoje em Diário da República, as salas da rede pública com mais de 20 alunos vão receber 340 euros, enquanto no ano passado receberam 334, o que representa um aumento de 1,8 por cento. (...)"

 

Nem sei quantas salas destas existem no país, mas fico sempre perplexo com o modo centralizado como estes assuntos são tratados: x euros por sala de acordo com as suas características quantitativas (esteja a sala em Lisboa ou em Almeida). Tenho a certeza que não existe no mundo mais "desenvolvido" país que trate estas matérias com estes critérios de arrepiar. E ainda mais espantoso, é que quem assina estas coisas propala os seus feitos e sem qualquer sinal de arrependimento.

trocas

29.09.09

 

 

Foi daqui. 

 

 

 

O financiamento dos partidos políticos e dos seus aparelhos é, ao que consta, uma área de negócio que é repetidamente apelidada de pantanosa. A exemplo da organização do estado, dá ideia que também tem diversos patamares, sendo o nível nacional aquele que sugere regalias mais poderosas e chorudas. Os mais hábeis no ofício parece ganharem posições fortes e de derrube quase impossível.

 

Os partidos do chamado "arco do poder", e mais ainda os do bloco central, trocam galhardetes e marcam-se à distância com arremessos estratégicos e de tom intimidatório. Pelo menos é isso que os seus actores desavindos - momentâneos ou estruturais - deixam escapar.

 

Pelo espectáculo a que vamos assistindo, a sensação que fica é que os casos BPN, Freeport e agora este dos submarinos, fazem parte de um jogo com benefícios colectivos e individuais; e depois há os avisos à navegação, digamos assim.

cumprir mandatos desde o início

29.09.09

 

 

BE começa por testar PS em três áreas decisivas

 

"(...)No Parlamento, as directrizes estão lançadas: "recuperar o subsídio de desemprego, tributar as grandes fortunas e suspender o regime persecutório instaurado aos docentes".

As prioridades dos deputados bloquistas foram enunciadas pelo dirigente do BE na noite eleitoral e serão convertidas em iniciativas legislativas. A primeira destina-se a estender a prestação social por desemprego aos que "já não têm ou vai deixar a ter. São 200 ou 300 mil pessoas", especifica.(...)"

 

forçar a alteração de agenda

29.09.09

 

 

 

Foi daqui.

 

 

Esquerda do PS recusa acordos com o CDS/PP

 

"Ferristas do PS admitem, no limite, um entendimento com o PSD, mas excluem em absoluto qualquer acordo de legislatura com o CDS. Mas a pressão sobre Sócrates não está limitada ao Largo do Rato. Ontem mesmo, os patrões exigiram ver a esquerda fora do Governo, sob pena de um adiamento dos investimentos. Exactamente o contrário do que pede a CGTP.(...)"

 

quem tinha medo da política? não é o parlamento a casa da democracia?

29.09.09

 

 

Foi daqui.

 

 

 

Sócrates repete estratégia de governação à vista de António Guterres

 

 

"É o regresso da vertente parlamentarista do sistema político português. A maioria relativa obtida pelo PS vai obrigar o Governo de José Sócrates a olhar com outros olhos para o Parlamento e a valorizar as negociações com os partidos da oposição. Tudo indica que José Sócrates opte por não fazer uma coligação permanente de Governo, até porque todos os outros líderes partidários se encarregaram de ir fechando essa porta.(...)"

Pág. 1/16