Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

primeira nota

07.06.09

 

 

(encontrei esta imagem aqui)

 

 

 

Nesta alturas só me apetece festejar. A luta dos professores tem sido extremamente difícil e conheço muitos professores que têm lutado de modo isolado e muito corajoso nas suas escolas; é a esses que presto a primeira homenagem.

 

Hoje estou a viver um dia inesquecível. Recordo-me, e embora reconheça o alcance muito menor do momento presente, a vitória histórica de B. Obama. Passei uma madrugada de olhos bem emudecidos a ver imagens que recordarei para sempre. Na altura, alguns dos mais sofisticados e cépticos alimentavam alguma apreensão com o futuro. Não me importei com nada disso. O tempo encarregar-se-á de avaliar o comportamento do 44º presidente dos Estados Unidos da América. Foi lindo, histórico e isso chegou-me.

 

Hoje, sei que os professores venceram uma pequena parte da sua justa luta em Portugal. Deram um forte contributo para esta primeira derrota das políticas Educativas deste governo. Nem me interessa quem ganhou as eleições por aqui - não foi com o meu voto - ou pela conservadora Europa. Aliás, no nosso país perderam as políticas de direita praticadas por um partido político que se legitimou como uma força da esquerda democrática. Só que depois fez o que se sabe e nem tudo foi em nome de qualquer agenda de contenção financeira. Na Educação perpetrou um ataque sem precedentes ao poder cívico e democrático das escolas; é principalmente contra isso que luto e que lutarei.

 

Resta ao que sobra de esquerda no partido que suporta o actual governo tirar as sua ilações. Como é que isso se faz?

 

Voltando às homenagens. São tantos os que quero recordar que tenho receio de esquecer algum. Todavia, sei que todos estaremos de acordo se salientar dois enormes lutadores que fizeram da web 2.0 o seu mais poderoso argumento. Faço-o, linkando as suas primeiras entradas alusivas a este momento. Subscrevo ambas e significo-lhes o mais fraterno dos abraços.

 

Paulo Guinote aqui. (Yes, I Think, we can)

 

Ramiro Marques aqui. (Os derrotados e os vencedores)

 

Bem hajam. Parabéns a todos os resistentes e viva a liberdade e a democracia. A luta continua e a sinfonia completar-se-á em breve.

começaram a contar os votozinhos

07.06.09

 

(encontrei esta imagem aqui)

 

Pois é. Começaram a contar os votozinhos e tudo indica que a luta dos professores - contra tudo e contra quase todos -, que foi dura, longa e muito difícil, inicia uma outra fase com resultados eleitorais que funcionam como uma enorme lufada de oxigénio.

 

Afinal nós podemos; devemos estar muito orgulhosos com a enorme lição de democracia que demos ao país.

 

 

 

metamorfose

07.06.09

 

(encontrei esta imagem aqui)

 

Os textos de Kafka são o que são: clássicos, intemporais, cruelmente belos e por aí fora. "Processo" e "Metamorfose" são os meus preferidos. Levar qualquer deles à cena tetral deve ser um obra muito exigente. A companhia "Inestética" fê-lo com "Metamorfose". Está muito bem. Bem ritmado, bem encenado, bons actores e apenas com um detalhe pouco rigoroso: estou em crer que o texto nunca refere Gregor como tendo-se metamorfoseado em escaravelho; Kafka ficou-se por um insecto.

 

Vimos o espectáculo ontem, em Óbidos, e recomendo vivamente.

 

Se clicar aqui tem acesso a uma pequena sinopse e ao sítio na internet da companhia de Teatro Inestética.

a liberdade evolui

07.06.09


Daniel Dennett é um relevante filósofo americano. "A liberdade evolui" é o título de uma das suas obras. Tem uma pequena história muito interessante e que merece uma atenta reflexão. Não resisti a transcrever.

 

"A Orquestra Sinfónia de Boston é conhecida por  fazer a vida difícil aos maestros convidados até que estes dêem provas de que merecem ocupar o lugar. Perante a sua estreia à frente da orquestra, e conhecendo a reputação da mesma, um jovem maestro decidiu tentar um atalho para conseguir ser respeitado. Estava programado que dirigisse a estreia de uma obra contemporânea inaudivelmente dissonante, e enquanto lia a partitura ocorreu-lhe um estratagema brilhante. Encontrou um crescendo no início, em que toda a orquestra produzia um som estridente em mais de doze notas discordantes, e reparou que o segundo oboé, uma das vozes mais suaves da orquestra, estava programado para tocar um Si natural. Agarrou na partitura para o segundo oboé e inseriu cuidadosamente o sinal para bemol - a partir de agora era indicado ao segundo oboé que devia tocar um Si bemol. No primeiro ensaio, conduziu energicamente a orquestra até ao crescendo adulterado. "Não!", berrou, parando a orquestra abruptamente. Depois, com o sobrolho enrugado e em profunda concentração disse: "Alguém, vejamos, sim, deve ser... o segundo oboé. Devia tocar um Si natural e tocou um Si bemol". "Não pode ser", respondeu o segundo oboé. "Eu toquei um Si natural. Um idiota qualquer tinha escrito aqui Si bemol!"."

idade de poesia

07.06.09
corpoherberto.jpg




Narração de um homem em Maio (1953-60).




Mexo a boca, mexo os dedos, mexo
a ideia da experiência.
Não mexo no arrependimento.
Pois o corpo é interno e eterno
do seu corpo.
Não tenho inocência, mas o dom
de toda uma inocência.
E lentidão ou harmonia.
Poesia sem perdão ou esquecimento.
Idade de poesia.


Herbero Helder em Poesia Toda.