Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

dar

26.05.09

 

 

(encontrei esta imagem aqui)

 

 

 

Encontrei no blogue do Paulo Guinote um poema muito bonito alusivo à época que atravessamos.

 

Pode ir lá ler, aqui, ou deliciar-se com o que colo de seguida; pode também pensar um bom bocado, qualquer que tenha sido a sua tomada de posição nas mais diversas situações; digo eu, claro, que tenho esta mania de me por para aqui a dizer coisas.

 

 

SE TODOS OS PROFESSORES DO PAÍS DESSEM A MÃO…

Se todos os professores deste país, dessem a mão
E fizessem, em Lisboa, ribombar com fragor
O eco explosivo da incontida emoção
Maio seria um mês redentor

Se todos os professores quisessem cantar
Do Tejo ao Marquês, uma ode insubmissa
Na cinco de Outubro, haveriam de chorar
Lágrimas de medo pelo temor da justiça.

C.R.

(Cunha Ribeiro)

 

conhece-se a culpa

26.05.09

 

 

 

(encontrei esta imagem aqui)

 

 

Numa rápida navegação pela blogosfera, dou com uma entrada muito reflexiva no  blogue Terrear.

 

Diz assim:

 

"Vitórias de Pirro

 
(...)
O ANO lectivo chega ao fim. Ouvem gritos e suspiros. Do lado, do ministério, festeja-se a “vitória”. Parece que, segundo Walter Lemos, 75 por cento dos professores cumpriram as directivas sobre a avaliação. Outras fontes oficiais dizem que foram 57. Ainda pelas bandas da 5 de Outubro, comemora-se o grande “êxito”: as notas em Matemática e Português nunca foram tão boas. Do lado dos professores, celebra-se também a “vitória”. Nunca se viram manifestações tão grandes. Nunca a mobilização dos professores foi tão impressionante como este ano. Cá fora, na vida e na sociedade, perguntamo-nos: “vitória” de quem? Sobre quê? Contra quem? Esta ideia de que a educação está em guerra e há lugar para vitórias entristece e desmoraliza. Chegou-se a um ponto em que já quase não interessa saber quem tem razão. Todos têm uma parte e todos têm falta de alguma. A situação criada é a de um desastre ecológico. Serão precisos anos ou décadas para reparar os estragos. Só uma nova geração poderá sentir-se em paz consigo, com os outros e com as escolas.
(...)
António Barreto, Público, 24 de Maio
(...)
Como aqui já escrevemos. Muitas vezes. Sobre estas vitórias que são uma desgraça. Sobre estes manuais de aplicadores que são signo sinal da nossa miséria (ainda que pretensamente legitimada para criar a ilusão da igualdade da "aplicação")."

 

 

É evidente que a responsabilidade por tudo o que está a desgraçar o poder democrático das escolas é do actual governo. Os professores lutaram muito e, para já, o que conseguiram foi evitar que o desastre fosse ainda maior.

 

Haverá ainda alguém que tenha a veleidade de afirmar que a escola não está, nesta altura, numa situação mais desventurada do que há quatro anos atrás?

 

Li as declarações do candidato número um às eleições europeias por parte do partido que suporta o actual governo. Já sabíamos que este governo estava a "reformar" na Educação. Agora ficamos a saber que também estava a revolucionar a desgraçada da dita cuja. A segunda asserção até pode ser válida: é uma verdadeira revolução neoliberal e neoconservadora na Educação: um retrocesso sem paralelo e em tempo acelerado. É obra, realmente.

 

 

 

rss da educação (40)

26.05.09

 

(encontrei esta imagem aqui)

 

 

Plataforma Sindical dos Professores espera "grande manifestação" no sábado

 

 

"O porta-voz da Plataforma Sindical dos Professores, Mário Nogueira, disse hoje esperar "uma grande manifestação" no sábado em Lisboa, considerando que "há razões fortíssimas" para o protesto.
"Esperamos uma grande manifestação ou não a teríamos convocado para o Marquês de Pombal, para descer até aos Restauradores. Serão dezenas de milhares de professores. Há inúmeros autocarros" já organizados para transportar os professores até Lisboa, disse Mário Nogueira aos jornalistas.(...)

 

 

E sobre a greve de hoje? Falamos noutro dia? Ouvi dizer que era um aquecimento para a grande manifestação de sábado. É uma ideia.

 

Está em curso uma revolução na educação em Portugal, diz Vital Moreira 

 

"O cabeça de lista do PS às europeias, Vital Moreira, defendeu hoje a ideia de que está em curso uma "revolução" no ensino e na formação profissional em Portugal, que atinge sobretudo as regiões do interior.
Vital Moreira falava no final de uma visita à Escola Básica Paulo Quintela de Bragança, o primeiro ponto de campanha do PS em Trás-os-Montes.(...)"

 

 

Os vícios de linguagem não desaparecem assim de repente: este senhor tem uma visão demasiado desfocada da realidade. Ah, está bem, esquecia-me: estamos em campanha eleitoral.