Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

rss da educação (19)

23.03.09

 

(encontrei esta imagem aqui)

 

 

Nove milhões de euros para centros escolares da Nazaré

 

A renovação em curso do parque escolar das escolas do 1º ciclo é uma decisão muito importante e histórica. Já se desesperava há muito por esta medida. Quem ler com atenção a notícia "linkada" verificará a confusão de conceitos de quem tem a responsabilidade de associar os projectos dos centros escolares às suas finalidades. Tem sido sempre assim e isso não augura nada de bom. Neste caso, o autarca do PSD baralha os conceitos de ensino com formação integral dos alunos. Ou seja, de um lado estará o ensino das matérias "nobres" e do outro as actividades ligadas ao que agora se designam por expressões. Sabe-se que os que fazem muito melhor do que nós associam o ensino à escola completa e à formação integral. Nós também já trilhámos esses caminhos, mas, e por agora, criámos o desastrado conceito de escola a tempo inteiro. Também já se sabe: as mentalidades são o que são e não mudam assim tão depressa. E no caso em apreço, podemos mesmo dizer que a atrevida separação do ensino e da dita formação integral não é só do governo em funções mas também do PSD. Por isso há mesmo quem se inquiete com um futuro que se pode adivinhar: o regresso nu e cru do nefasto bloco central de interesses e de outras coisas mais.

 

Universitários correm às bolsas de acção social

 

Há jovens, principalmente os do interior do país, que já tinham insuperáveis dificuldades financeiras para iniciar ou prosseguir os seus estudos superiores; neste momento os constrangimentos agravam-se. Há um fenómeno que há muito que me aguça a curiosidade: quantos, dos melhores alunos do ensino secundário, escolhem cursos superiores via ensino como primeira prioridade; e desses, quantos o fazem para a docência no primeiro ciclo de escolaridade. As escolas superiores de educação, ao optarem por mais um ano de formação inicial e com isso garantirem a especialização noutras disciplinas do 2º ciclo, deram um primeiro e nefasto contributo para o estado a que se chegou. Dá ideia que essas instituições se sentiam desprestigiadas por só formarem professores do pré-escolar e do 1º ciclo. E agora?

da esperança

23.03.09

 

 

 

 

(encontrei esta imagem aqui)

 

Peguei num comentário de Vasco Tomás feito noutro post e transformei-o numa nova entrada. Ficou com o título "da esperança" mas também podia ter sido "toupeira". Mas parece-me que é de um real e fundamentado optimismo que se faz a longa luta dos professores; a força da razão, como se sabe.

 

Ora leia.

 

 

"Neste momento, vem-me à cabeça a imagem da toupeira, proposta por Hegel e retomada por Marx no Manifesto, sobre o trabalho astucioso, subterrâneo e cheio de surpresas como se faz a história.


É preciso que continue a haver sinais de que, por debaixo da terra, as toupeiras, esses animais com problemas de visão - para o Governo e seus acólitos, evidentemente - circulam sem darem conta da sua existência e que, de repente, irrompem onde menos se espera. Esse trabalho surdo ocorre sem cessar, mesmo se a ordem reina na superfície e nada parece indicar turbulências próximas. 
É esse sinal que é expresso na resolução tomada na reunião de 21 de Março pelos PCEs.
Continuem os professores, convictamente e sem tergiversações, a sua acção subterrânea pois a hora da manifestação da sua verdade soará quando menos se esperar."