Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

intermitências na queda do monstro (3)

27.10.08

 

 

 

Recebi por mail um texto com as conclusões da reunião que os diversos movimentos realizaram, no dia 24 de Outubro de 2008, em Leiria.

 

Fica a saber-se:

 

 
 
"No passado dia 24 de Outubro, realizou-se uma reunião de representantes da APEDE, do MUP e do PROmova, bem como de membros do movimento de professores de Leiria, com vista a analisar a situação actual da luta dos professores, a definir os princípios e as reivindicações que nos devem mobilizar e a preparar a manifestação de 15 de Novembro.
O diálogo e a troca de informações deixaram transparecer a grande adesão e mobilização dos professores, nas mais diferentes escolas do país, em torno da referida manifestação. Foi também consensual que esta não poderá ficar confinada a exigências de carácter socioprofissional, devendo antes denunciar, com a maior amplitude possível, a actual degradação do ensino e do sistema educativo, dirigindo-se à sociedade civil e mostrando que a causa dos professores é, hoje, a causa de todos os portugueses preocupados com o futuro de uma escola pública democrática, socialmente inclusiva mas exigente para todos os actores nela envolvidos.
Os movimentos presentes nesta reunião foram unânimes em assumir a manifestação de 15 de Novembro como uma afirmação genuína dos professores, vinda das bases e indo ao encontro da resistência espontânea que se está a desenvolver nas escolas. Estes movimentos querem, com a referida manifestação, contribuir para a intensificação dessa resistência, cujo objectivo final será o derrube de todas as políticas despóticas que têm procurado quebrar a vontade dos professores e destruir uma escola pública de qualidade.


 

Foi ainda estabelecido que estes são os princípios gerais que irão nortear a posição dos movimentos na reunião agendada com a Direcção da FENPROF para o próximo dia 29."

 

 

Ficamos então a aguardar pela reunião de 29 de Outubro de 2008. Talvez, depois disso, tudo fique mais claro. Vamos esperar.

 

intermitências na queda do monstro (2), olha quem!...

27.10.08

 

 

 

 

 

 

 

Já tinha lido notícias nesse sentido: os partidos políticos começam a acordar para os assuntos relativos à ponta do "iceberg": a avaliação do desempenho dos professores portugueses. Uns mais do que outros, como também já afirmei. E há mesmo um que se tem posicionado de modo sistemático e muito esclarecido.

 

Mas o que não estava assim tanto à espera era do que vai ler de seguida e que retirei de alguns órgãos de comunicação social.

 

Não é que uma das pioneiras das políticas que massacram os professores portugueses, vem agora dizer umas coisas que até considero contaminadas por um princípio muito central: o mimetismo?

 

Ora leia:

 

Manuela acusa PS de humilhar. 

 

Manuela Ferreira Leite foi ontem ao congresso dos autarcas sociais-democratas para acusar o PS de "humilhar" professores, juízes e funcionários públicos. Uma estratégia, denunciou a líder do PSD, que os socialistas utilizam sempre que pretendem avançar com reformas em alguns sectores da sociedade. 

Para Ferreira Leite , o objectivo do PS é "criar na opinião pública a ideia de que essa classe deve ser marginalizada e, nessa altura, entrar com toda a força e prepotência para resolver ou tentar resolver aquilo que encarou como problemas da classe". Por exemplo, a presidente laranja destacou que a "ideia lançada [pelo Governo] sobre os funcionários públicos foi, pura e simplesmente, a de que são uns inúteis".