Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

irs só para professores

09.08.08



 

A linguagem da economia inundou a nossa vida e a educação não foge a isso.





Termos como:

é uma mais valia para os alunos, é uma mais valia para os professores, é uma mais valia para os funcionários, formação creditada, escola a tempo inteiro, modelo de avaliação centrado na contenção orçamental, debitar informação, custos de formação, políticas despesistas, utilidade da filosofia, inglês no primeiro ciclo, professor titular, agrupamentos de escolas, cheque ensino, festa de finalistas desde o jardim de infância, ensino privado, enriquecimento curricular, certificação e validação de competências, micro-gestão a partir do Terreiro do Paço, “produção” de alunos de qualidade, nível socio-económico do aluno, especialistas na matéria com créditos firmados ao nível internacional, "eduquês" uma industria que move milhões...





E não resisto. Confesso que tenho recorrido ao imposto sobre os rendimentos singulares (IRS), com uma ligeira demagogia à mistura - nem diria demagogia, chamar-lhe-ia exagero metafórico -, para argumentar contra a avaliação do desempenho dos professores.

Quando converso com os defensores acérrimos do diabólico modelo, digo-lhes isto: "imagina que vais entregar a tua declaração do IRS por via electrónica e que dizem-te: não pode ser. Desta vez deve fazê-lo do modo analógico (declaração em papel) por que passa a ser lei. E mais, passa a ter de o fazer todos os dias".
Os que são professores e que estão "distraídos" ficam atónitos e os que não o são atónitos ficam. Passam a duvidar e têm razão para ao menos isso, convenhamos.






Histórias antigas. Vícios velhos.

Segue-se um pequeno vídeo, cerca de 7 minutos, cuja música tanto ouvi e que tem um ilustrador e eloquente início: ora clique.















(Quer ler o que já escrevi sobre educação?

Clique aqui.)