Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

nava

05.06.08



nava.jpg


Luís Miguel Nava viveu de 1957 a 1995 e escreveu poesia de eleição.

Um poema do seu livro "Vulcão".


Fome


Aqui, onde a mão não
alcança o interruptor da vida, aqui
só brilha a solidão.
Desfazem-se as lembranças contra os vidros.

Aqui, onde a brancura
dum lenço é a brancura do infortúnio.

aqui a solidão
não brilha, apenas
se estorce.
A fome fala através das feridas.



boas reformas

05.06.08

 

 

 

Li noutro blogue uma notícia que retrata a  situação que se vive no Reino Unido em relação à educação e lembrei-me imediatamente do que se passa em Portugal. São cada vez os mais os que advogam a "implosão" dos serviços centrais e regionais do ministério da educação, reformulando-os por completo, com sobrevivência para um conjunto muito reduzido de departamentos, como, por exemplo, proponho no texto "escolas sem oxigénio":

  • Os governos devem tratar dos programas e dos exames nacionais, das melhores medidas para a gestão de recursos humanos, da organização da rede escolar, e da simplificação dos procedimentos administrativos conducentes à obtenção da informação que suporta as decisões nos domínios referidos. Deve também organizar a rede de formação científica dos docentes e os programas de avaliação externa das escolas de acordo com princípios modernos de gestão da informação.

Num país sem uma divisão administrativa claramente definida, não se entende a existência de serviços que se desmultiplicam e que se sobrepõe, centralizando e dificultando a vida das diversas instituições.


  • "Quatro distintos académicos ingleses atacam as políticas educativas do Governo do Reino Unido, argumentando que o excesso de legislação, directivas e interferências do ministério da educação nas escolas revela desconfiança nos professores e cria instabilidade e confusão. Acusam o Governo de sujeitar as escolas públicas a uma revolução permanente e a mudanças constantes, provocando grandes malefícios nas escolas. Na carta que escreveram ao jornal Independent, afirmam que o ministério da educação ja não faz parte da solução, sendo, pelo contrário, a origem dos problemas".


Pode ler a notícia completa por aqui.

 

Um boa ideia de reforma da 5 de Outubro em 23 segundos.

 

Ora clique.