Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

narração de um homem em maio

26.04.06

. . corpoherberto.jpg . . Narração de um homem em Maio (1953-60). ... Mexo a boca, mexo os dedos, mexo a ideia da experiência. Não mexo no arrependimento. Pois o corpo é interno e eterno do seu corpo. Não tenho inocência, mas o dom de toda uma inocência. E lentidão ou harmonia. Poesia sem perdão ou esquecimento. Idade de poesia. Herbero Helder em Poesia Toda.

philotheamones

26.04.06

Philotheamones (29/4/93).

Pelo olhar
Procuro
Ver em ti
O que lá não está.

Pelo olhar
Desvendo
Mensagens de feitiço,
O ser das coisas.

Pelo olhar
Contemplo os objectos da Filosofia,
E a ti também.

Maria Rodrigues.

Publicado por Paulo Guilherme Trilho Prudêncio.

o rigor das gramas e o processo de bolonha

26.04.06

gramas.jpg


Comecei a ler e nem queria acreditar: a Faculdade de Psicologia da Universidade do Porto pode vir a ficar de fora do processo de Bolonha, para o próximo ano lectivo, porque a sua candidatura atrasou-se. Até podia ter-se protelado, mas o inesperado que o jornal público faz notícia, hoje, dia 25 de Abril de 2006, diz que o pretexto para todo estes transtorno, relacionou-se com mais ou menos 500 gramas. E passa a explicar: a reitoria da Universidade tinha uma data limite para enviar a numerosa papelada com a candidatura, mas o volume do processo ultrapassava, nas ditas 500 gramas, os dois quilogramas que estão internamente estabelecidos como o peso máximo das encomendas; vai daí, a funcionária responsável pelo procedimento resolveu voltar para trás, no registo e no envio, via CTT, e causou toda esta perturbação. A jornalista que descreve este espantoso acontecimento, chega a conversar com dirigentes da universidade, tendo um deles proposto o seguinte: dever-se-ia ter separado o processo em dois, um para a licenciatura em ciências da educação e outro para a licenciatura em psicologia, e assim nenhum deles ultrapassaria os dois quilogramas. Coitada da funcionário que exerce a sua actividade numa instituição como esta. Esta nem “Sua Excelência”, mesmo nos seus dias mais ousados.

9º festival de jazz de valado dos frades

26.04.06
edulobo.jpg Edu Lobo. afonsopais.jpg Afonso Pais.


O 9º Festival Jazz de Valado de Frades já começou, oferecendo, mais uma vez, a oportunidade de se assistir a muito e bom jazz. Este ano, já tive o privilégio de assistir ao concerto do dia 21 de Abril, que contou com a presença do trio de Afonso Pais e com um dos seus convidados: o brasileiro Edu Lobo. O trio de Afonso Pais (guitarra) é composto por músicos excepcionais: Alexandre Frazão (bateria) e Carlos Barreto (contrabaixo). O espectáculo do dia 21 de Abril, teve uma abertura com temas do primeiro álbum do guitarrista, “terranova”, seguindo-se uma série de temas do álbum “subsequências”, considerado uma obra ousada deste jovem músico português de jazz (nesta fase, o concerto teve a presença de uma boa voz feminina, cujo nome me escapa). Depois ouvimos o Trio mais Edu Lobo (compositor de títulos célebres como Beatriz e Upa Neguinho) para uma participação especial em dois temas: “considerando”, um antigo tema seu com letra de Capinam, e “berimbau” de Baden Powel e Vinícius de Moraes. Ao que julgo saber, o “subsequências” e os dois temas tocados com Edu Lobo (voz e guitarra) serão editados em álbum ainda este ano. “Este é um disco de jazz, sem dúvida, mas sem os lugares-comuns, as fórmulas conhecidas. Um disco que aposta na melodia, na harmonia e na execução primorosa do trio. E eu, aposto no disco. Fico muito contente com isto, na aposta num caminho tão difícil, já que Afonso ainda é jovem” - palavras do mago brasileiro que atestam a grande capacidade deste trio. Gostei muito deste concerto. Carlos Barreto esteve ao seu melhor nível (num registo menos experimental para obedecer ao rigor dos temas) e Alexandre Frazão é o génio que se conhece. Afonso Pais tem muito para dar e Edu Lobo é mesmo grande. Só um senão: o concerto evaporou-se num instante, facto bem sublinhado com o desânimo do público presente. Paulo Guilherme Trilho Prudêncio.