Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

da marcha da não resignação

26.01.13

 

 

 

A manifestação de professores, hoje, em Lisboa, foi impressionante. Cheguei cedo e sentei-me numa esplanada da Avenida da Liberdade. Fui esperando pelos colegas da minha escola que vinham mesmo no fim e assisti a uma boa hora de professores a descerem em direcção ao Rossio. Houve quem se recordasse da manifestação de 5 de Outubro de 2006 quando os professores começavam a perceber o pesadelo que se seguiria. A história não se repete (pelo menos exactamente, claro), mas fiquei com a sensação que os professores não se resignarão a esta segunda vaga de devastação da escola pública.

 

 

 

3 comentários

  • Sem imagem de perfil

    ana

    27.01.13

    O Pedro é masoquista?
    Paga uma TV cabo qualquer para ter esses canais de televisão e passa um bom bocado a ouvir um "comício do PCP", tendo alternativa gratuita pelo menos nos canais abertos e generalistas!?!

    Pergunto-me se não estaria, como muitos, à espera de ver/ouvir uma "escorregadela" tal que ensombrasse o sucesso e a visibilidade da manifestação de professores, descredibilizando-a.

    Goste-se ou não deles, nem o penoso comício do Arménio Carlos, nem os engasganços e despropósitos do Mário Nogueira fizeram com que isso acontecesse.

    E o Pedro ficou frustrado... Hélas!
  • Sem imagem de perfil

    Pedro

    27.01.13

    Ana, não fiquei frustrado porque não criei expectativas com a manifestação. Aliás, se tivesse ido é que poderia ter ficado frustrado.
    Agora para poder comentar há que saber o que foi dito. De resto, o que ficou da manifestação?
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.