Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

dos bons alunos

15.11.12

 

 

 

 

 

O secretário de Estado da Administração Pública confessou que os cortes no número de funcionário públicos duplicou o previsto (5% em vez de 2%) e que o exercício para além da troika fundamentou-se nos professores.

 

Os professores são "muitos", apenas porque são o grupo profissional mais numeroso, e foram objecto do maior despedimento colectivo da nossa história.

 

Percebemos essa condição em meados da primeira década do milénio. Associado ao despedimento, vimo-nos acusados do abandono escolar que nos envergonha como sociedade e a panaceia incluiu uma carga intolerável de hiperburocracia e a perda de confiança na organização das escolas.

 

Há todo um caminho por reconstruir e não consigo adivinhar o momento de viragem. O que observo é um sistema escolar desesperançado que acentuará os números negativos que não nos cansamos de apontar, sem que se registe um qualquer discurso que eleve o caminha escolar percorrido nestas décadas de democracia e que trasmita um sinal de esperança. É demasiada ingratidão, realmente.

 

Estado corta mais do dobro dos funcionários previstos

2 comentários

Comentar post