Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

evidências e equivalências

06.10.12

 

 

 

Por mais que a história faça do mito de sísifo um imperativo, surpreendemo-nos quando os valores mais vetustos voltam à tona.

 

Quando o tribunal constitucional inquietou a austeridade em curso, a AD defendeu-se com a sua base eleitoral para explicar a escolha dos funcionários públicos.

 

É conhecida e antiga a fórmula da direita atávica e dos interesses: o sector público é despesa e desprezível e o sector privado é produtividade e modernidade. Desta vez não o esconderam.

 

Lembram-se da risível solução de mais meia-hora diária de trabalho no privado para compensar os cortes nos subsídios dos funcionário públicos e pensionistas? Coreografia de quinta-divisão, como logo se percebeu.

 

A conclusão é simples: para além de concordarmos ou não com a ideologia, o que se torna insuportável é estarmos na presença de mais uma fornada de impreparados. Ainda há tempos ouvi o ministro Relvas dizer que a saúde, a educação e o restante sector público precisavam de um choque de gestão equivalente ao praticado pelas empresas por onde passou. Valha-nos sei lá o quê. São pessoas com esta experiência e sapiência que desenham ou influenciam os modelos de gestão escolar do tipo do que está em curso. É mais um choque, realmente.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.