Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

da confiança

12.07.12

 

 

Em 22 de Junho de 2012 escrevi assim: "(...)Com o valor da palavra no estado lamentável que sabemos, alguém pode confiar numa declaração de um ministro? Custa escrever isto mas é assim. É bem possível que não se saiba quantos professores vão ser contratados no próximo ano lectivo, mas o conjunto de despachos do MEC é inequívoco: existirão cortes brutais no número de professores. Para além disso, adivinha-se uma série de horários zero nos professores do quadro. E a questão que se coloca é óbvia: e no ano lectivo seguinte? A polémica fica mais acesa por causa das opções do actual MEC nos achamentos da estrutura curricular, nas alterações à componente lectiva dos professores, no número de alunos por turma e nas agregações de escolas.(...)"

 

Linkei esta notícia em que Nuno Crato também dizia que o Estado de direito não despedirá professores do quadro e que nenhum professor nessa condição irá para o quadro de mobilidade. Alguém confia? Voltei agora à notícia e o ministro também diz: "(...)Não temos sequer 25.000 horários de professores contratados, portanto não é possível fazer esse despedimento", afiançou, em resposta à oposição.(...)". Uns dias depois soube-se que eram 35.000.