Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

terraplenar sem contemplações ou de forma inconsciente e incompetente?

23.05.12

 

 

 

 

 

Não estivessem os professores anestesiados pela austeridade, divididos pelas políticas dos últimos anos, desconfiados dos seus representantes formais e teríamos uma contestação tão ruidosa como em 2008 e 2009.

 

Se é certo que a maioria dos diplomas mais nefastos foram vencidos pela força da razão, sobrevivem, como é o caso da gestão escolar, procedimentos organizacionais que são a razão de existir da traquitana do MEC alastrada a muitas escolas e agrupamentos.

 

Os responsáveis políticos que se têm sucedido confundem preconceituosamente liberalismo com providencialismo e legitimidade democrática com comunidade educativa. Advogam, para argumentarem a favor da exclusão de pessoas, uma espécie de gestão de alto rendimento inspirada no futebol de grande consumo, como se o que mais se elevasse nos treinadores mais mediatizados não fosse a melhoria do desempenho das pessoas e das organizações.

 

A nossa bancarrota não é apenas uma invenção que nada tem a ver com a forma como gerimos a coisa pública. Sempre foi preciso remar contra muitas marés para organizar uma escola. A terraplanagem e os desrespeito pela organização das escolas é um metabolismo.

 

Deixar para Agosto o que deve ser decidido em Janeiro é uma prática irresponsável do país das PPP´s e da corrupção e é assumida por gente atrevida e que acha que sabe muito bem o que está a fazer. Se numa escola organizada os professores têm de temer a relação entre a actualidade, os horários zero (e os contratos) e as variáveis da rede escolar, da articulação curricular e dos critérios da distribuição do serviço docente, imagine-se nas outras.

 

Ansiedade cresce nas escolas por causa dos mega-agrupamentos 

 

 

"(...)Contactado pelo PÚBLICO, o ministério informou, através do gabinete de imprensa, que os diplomas legais em falta "estão a seguir os trâmites processuais normais, devendo ser divulgados em breve". Adianta também que as comissões administrativas provisórias dos novos mega-agrupamentos "serão nomeadas após a conclusão da segunda fase de constituição das novas unidades orgânicas". 

Sexta-feira, quando apresentou as primeiras 115 agregações (que envolvem mais de 250 mil alunos), a tutela adiantou apenas que a fase seguinte seria divulgada "muito em breve", "de modo a assegurar a preparação atempada e tranquila" do próximo ano escolar.(...)"