Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

não sabia

04.05.12

 

 

 

O patrão do Pingo Doce, Soares de Santos, diz que não sabia da campanha de 1 de Maio de 2012. Nem sequer considero isso relevante, como nem me darei ao trabalho de imaginar o grau de maquiavelismo científico dos inventores da coisa. Estão a tratar dos negócios da empresa, julgam-se indolores e acima das desgraças humanas. A responsabilidade social das empresas devia exigir um respeito escrupuloso pelo primeiro de Maio, parece-me.

 

A história ensina-nos, e a experiência também, que quando os muros caem, e mesmo nas mais horríveis ditaduras como o nazismo, há milhares de bem intencionados que julgavam estar do lado da razão. A tábua rasa dos valores simbólicos onde se erguem as comunidades e as democracias é, como se tem visto, uma característica forte dos descomplexados competitivos. Nem a actual bancarrota do denominado ocidente os comove. Era bom que não considerassem os nossos avós desprovidos de humanidade por terem "alinhado", em plena Europa, nas inúmeras desgraças que provocaram milhões de mortes e massacres impensáveis.

 

Em jeito de humor e de teoria da conspiração, podíamos considerar como natural o desconhecimento da cúpula do Pingo Doce. Já não mandam nada e limitam-se a seguir as pisadas do Governo. Não é o Goldman Sachs - hoje um reputado investigador classifica-o como o Império do Mal - que domina as nossas privatizações através do não escrutinado António Borges? Não existiu há pouco um alarido de incompatibilidades, em que o Governo naturalmente capitulou, porque o mesmo senhor passou a fazer parte da empresa que controla o Pingo Doce?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.