Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

a ad e o algoritmo

29.09.11

 

 

 

 

A AD está malfadada para concursos. Ninguém se esquece do famoso algoritmo de 2003, que se disse ter resolvido a inenarrável saga concursal dos professores. Os criadores do dito apareceram na abertura dos telejornais com a aura de geniais. O questão foi outra: a má decisão política provocou um loop no sistema de colocações e a coisa não tinha fim. O algoritmo apenas retirou a recuperação de vagas e colocou os opositores. Colocou-os de forma errada, e com prejuízos pessoais incalculáveis, e poucos deram conta. Tenho ideia que o algoritmo é o mesmo.

 

Há outro algoritmo menos intrigante. Sucedem-se os casos que denunciam alunos ainda sem professor e em que os respectivos horários não aparecem a concurso na bolsa de recrutamento, ou de professores que foram afastados das suas escolas com horário zero e que depois vêem serem colocados nessas escolas outros docentes na mesma condição. Este algoritmo tem um nome mais nosso conhecido.

 

Na mudança de século publiquei, numa revista da especialidade, um receituário, com recurso à literatura do benuron, que intitulei de reformas e remédios (1). Mais tarde, em Outubro de 2007, actualizei a prescrição com o reformas e remédios (2). Sobre o assunto em causa, ficou assim:

 

 

Concursos.

Registo da patente: ano de 2002, por decisão do Ministro da Educação David Justino com a participação activa do Secretário de Estado da Administração Educativa Abílio Morgado. É considerado um genuíno estudo de caso, com matéria para investigar durante o próximo meio século.

Composição: conjunto de leis reguladoras, com recurso, na sua aplicação, aos mais sofisticados meios informáticos, de um fenómeno que conseguiu passar para a digitalização informática todas os procedimentos que paralisavam as administrações públicas anteriores à sociedade da informação. 

Indicações terapêuticas: antecipar a necessidade de um plano tecnológico, ao provocar o aparecimento de um inédito algoritmo que é hoje objecto de estudo no pós-doutoramento em sistemas de informação na prestigiada instituição que tem a sigla MIT. Consegue excluir de um concurso mais opositores do que na soma dos 30 anos anteriores.

Contra-indicações: não se aconselha a sua utilização em sistemas de concursos públicos com mais de 2 opositores .

Precauções especiais de utilização: se conceber uma ideia igual corre o risco de se tornar assessor da prestigiada companhia aérea TAP.

Prazo de validade: a estabelecer semanalmente.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.