Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

a dureza depois das conquistas a pulso

09.04.08











Hillary Rhodam Clinton está distante. É norte-americana e isso diz tudo. A cultura do seu país tem idiossincrasias que dificultam a sua compreensão para as pessoas que vivem na Europa.  Leio que é, dos dois candidatos do partido democrático às próximas eleições presidenciais, o que se situa mais à esquerda segundo os padrões europeus.

Também percebo que tem três fortes pontos críticos: é mulher, é casada com Bill Clinton e tem um grande rival no seu partido. Apesar disso, tem conseguido construir um trajecto singular e mantém-se com possibilidades de ser eleita. É obra.

As pessoas que a conhecem mais de perto traçam-lhe o carácter. Diz-se que Hillary Clinton é, por vezes, muito dura com os seus colaboradores, principalmente com aqueles que ocupam funções que ela já desempenhou. E explicam: Hillary conquistou tudo a pulso e trabalhou muito para obter bons resultados - é consensual na sociedade norte-americana a excelência profissional de Hillary Clinton, parece-me - e nunca conseguiu um lugar de poder sem ter de lutar muito por isso. Parece que irrita-se muito quando vê alguém usar o privilégio de decidir a vida das organizações, e das pessoas, claro, que dirige, sem fazê-lo com dedicação, com estudo e com sentido de responsabilidade. E não perdoa. Compreende-se.

Temos de esperar. Em breve saberemos quem é o candidato do partido democrático. Seja Hillary Clinton ou Barack Obama, o que espero é que haja uma mudança nas políticas da administração norte-americana.






(Quer ler alguns dos textos
que já escrevi sobre educação?

Clique aqui.)

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.