Em busca do pensamento livre.
Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2017

 

 

 

 

Portugal é o país da OCDE onde os professores perdem mais tempo com a disciplina para começar uma aula e é onde existem, como hoje se conclui, salas de aula em que "reina a "pequena indisciplina"". E não saímos disto, com o discurso circular de "especialistas" (no caso o antigo responsável pelo Observatório de Segurança em Meio Escolar) a culpar "mais os professores do que os alunos".

E se procurássemos, definitivamente, outras culpas? Sumariemos: escola a tempo inteiro, ou "armazém", como resultado da sociedade ausente; aluno-cliente como negação dos elementares princípios docimológicos (não tarda e a publicitação da calendarização de testes chega ao primeiro ciclo para que um petiz convoque os advogados porque o professor o submeteu a um questionário de avaliação sem calendarização; isto sim, o nefasto "facilitismo"); uma década de devassa, mediatizada em primeira página, da carreira dos professores; indústria de exames nacionais, com os respectivos quadros de mérito e com a publicitação de resultados de crianças (é a preparação para a selva, dizem "especialistas da ordem contrária"); "supressão" de intervalos escolares; aulas de noventa minutos como receita do 5º ao 12º ano e em todas as disciplinas; mais alunos por turma; mais turmas por professor; terraplenagem do estatuto da carreira dos professores; agrupamentos de escolas como negação da gestão de proximidade e com aumento da hiperburocracia como factor ilusório de controle; legislação de disciplina escolar na lógica de um "tribunal dos pequeninos"; e por aí fora. Se nada de moderado, sensato e democrático acontecer, daqui por uma década voltaremos, seguramente, ao mesmo e, obviamente, aos culpados do costume.

 

Captura de Tela 2017-02-07 às 13.52.11

 



publicado por paulo prudêncio às 15:13 | link do post | comentar | partilhar

2 comentários:
De mario silva a 7 de Fevereiro de 2017 às 23:34
Num assunto complexo como a educação, não vou ser prolixo como seria desejável para explicar pormenorizadamente o que influencia o processo de ensino-aprendizagem. Usando o modelo resumido e superficial típico da comunicação moderna, o artigo publicado no jornal Público no dia 07/02 referente ao tema da indisciplina, está eivado de um preconceito antigo: que o método pedagógico de lecionar aulas predominante é o expositivismo. Informo que tal não corresponde à verdade dos factos: existem muitos professores que utilizam métodos pedagógicos não expositivistas (onde me incluo, desde que iniciei a carreira há mais de 2 décadas). Portanto, embora ainda possa existir esse método (que é utilizado com predominância no ensino universitário mas não se fala pejorativamente disso…), a realidade é que a tal indisciplina continua a existir mesmo com outros métodos diferentes.
A mudança profunda na sociedade provocada pelo desenvolvimento tecnológico, veio colocar a escola numa posição muito difícil em relação ao trabalho que realiza com os indivíduos que nasceram e crescem mergulhados nessa sociedade. Os conteúdos que a escola está obrigada a trabalhar são de índole diferente dos conteúdos disponibilizados pelos mass media (Internet, televisão): enquanto estes últimos são eminentemente lúdicos, superficiais, consumo rápido e pouco estimulante da reflexão intelectual, os conteúdos escolares promovem o trabalho intelectual, que envolve raciocínio, compreensão, interpretação e consequentemente, esforço. Portanto, a mente humana obviamente prefere o que é divertido, lúdico, pouco trabalhoso, de consumo rápido e fácil.
Entre vários fatores que contribuem para o desinteresse escolar (sociais, familiares, económicos, psico-emocionais), o desfasamento entre o que os mass media disponibilizam e o que a escola é obrigada a disponibilizar, provoca dificuldade na captação de interesse dos alunos, com uma evidente concorrência desleal virtualmente impossível de combater.


De paulo prudêncio a 8 de Fevereiro de 2017 às 18:25
É um interessante ângulo de análise que toca em alguns dos pontos referidos.


comentar post

Inauguração do blogue
25 de Abril de 2004
Autor:
Paulo Guilherme Trilho Prudêncio
Discordâncias:
Mais até por uma questão estética, este blogue discorda ortograficamente
comentários recentes
Comentário bem humorado :)
não há cultura de serviço público na tugalândia pa...
Um bom ponto de partida para uma reflexão. E há mu...
Pois. Mas para combater Trump, Le Pen e outros há ...
1- está instituído nos gabinetes que a progressão ...
Não te intrometes nem tens que pedir desculpa, Luí...
posts recentes

redes sociais

Macron e Schulz? Quem dir...

"Trump não é um epifenóme...

Tríptico ainda vigente no...

da actualidade

ligações
posts mais comentados
tags

agrupamentos

além da troika

antero

avaliação do desempenho

bancarrota

banda desenhada

bartoon

blogues

caldas da rainha

campanhas eleitorais

cartoon

cinema

circunstâncias pessoais

coisas tontas

concursos de professores

contributos

corrupção

crise da democracia

crise da europa

crise financeira

crise mundial

crónicas

democracia mediatizada

desenhos

direito

direitos

economia

educação

efemérides

escolas em luta

estatuto da carreira

exames

falta de pachorra

filosofia

finanças

fotografia

gestão escolar

história

humor

ideias

literatura

luís afonso

mais do mesmo

manifestação

movimentos independentes

música

organização curricular

paulo guinote

política

política educativa

portugal

professores contratados

público-privado

queda de crato

queda do governo

rede escolar

sociedade da informação

tijolos do muro

ultraliberais

vídeos

todas as tags

favoritos

bloco da precaução

pensar o sistema escolar ...

escolas sem oxigénio

e lembrei-me de kafka

as minhas calças brancas ...

as minhas calças brancas ...

reformas e remédios (1) -...

sua excelência e os númer...

sua excelência (2) (reedi...

sua excelência (1) (reedi...

subscrever feeds

web site counter
Twingly BlogRank
arquivo
blog participante - Educaá∆o - correntes .jpg
Por precaução
https://www.createspace.com/5386516
Razões de uma candidatura
https://www.createspace.com/5387676
mais sobre mim